Como fazer um seguro de vida passo a passo?

como fazer seguro de vida

Quantas pessoas dependem de você, da sua força, garra e energia para sobreviver? Sejam seus filhos ou outros entes queridos, com certeza você não está sozinho no mundo! E é justamente por isso que você tem questionado sobre como fazer um seguro de vida, não é mesmo?

Muitas vezes as pessoas não dão valor a vida. Contratam seguros para seu carro e para a sua casa, mas se esquecem do principal, do bem mais precioso e irreparável. Só que você, é claro, não está neste grupo, afinal quer saber como contratar este seguro.

Junto a milhares de pessoas que tem se preocupado, você é um dos três a cada cinco cidadãos que se preocupa com o seguro de vida! E você está certo de ter este zelo, preocupação e cuidado. Mais do que estar amparado em inúmeras circunstâncias, o seguro de vida é um gesto de amor com quem está ao seu redor!

Certo de que contratar um plano desses é o melhor a fazer, quer saber como fazer um seguro de vida? Você está no lugar certo! Neste post você encontrará justamente um passo a passo prático para encontrar sua melhor opção! Continue lendo.

5 passos sobre como fazer um seguro de vida

Você já sabe qual é a importância de ter um seguro de vida. Agora é finalmente chegada a hora de conferir o passo a passo para ter esta segurança com que contar no seu dia a dia. Confira a seguir os 5 passos e dicas simples sobre como fazer um seguro de vida e contrate já:

1. Saiba qual o tipo de cobertura

O primeiro passo a dar sobre como fazer um seguro de vida é entender e encontrar o tipo de cobertura certa para você. Assim como nas coberturas residenciais e nos seguros de automóveis, há várias opções disponíveis. Sua primeira missão é decidir qual delas é a melhor para você, para o seu momento e para a sua necessidade, certo?

Quanto mais completa for a cobertura, melhor. Não contrate de cara aqueles planos que são “baratos demais”. Em caso de necessidade, essas coberturas podem se mostrar bem falhas.

Vale ressaltar aqui que é necessário ficar de olho na hora de contratar para não errar. Muita gente paga pela apólice de acidentes pessoais acreditando ser este um tipo de cobertura de seguro de vida. Isso é um engano! O seguro de vida refere-se ao risco de morte, enquanto o outro apenas a acidentes ou morte prevista na lista do seguro.

2. Encontre uma boa corretora

Existem inúmeras corretoras hoje em dia. A propaganda de cada uma delas assegura ter a opção ideal para você, certo? Como escolher sem errar? A primeira dica é ter atenção e ir além do superficial para decidir.

Que tal pesquisar o histórico da corretora e o que estão falando sobre ela no mercado? Uma rápida pesquisa na internet já servirá para que você tenha uma ideia! Fique atento a idoneidade da corretora. Confira se entre os depoimentos é possível ter segurança de que ela realmente comparece nos momentos de maior necessidade.

Também procure por corretoras que flexibilizam sua cobertura para melhor atender as suas necessidades. Quanto mais personalizado puder ser seu plano, melhor, tanto para você quanto para a sua família.

3. Separe todos os documentos solicitados

Depois de cotar e encontrar o melhor seguro de vida e a melhor seguradora, é hora de separar os documentos exigidos para a confecção do contrato. A lista pode variar conforme a empresa, mas no geral são os documentos pessoais com que todos estão acostumados.

Em alguns casos pode ser necessário apresentar um laudo médico sobre o estado de saúde do pretendente de ter o seguro. Isso é comum uma vez que as seguradoras têm o direito de não conceder o plano àqueles que estiverem, por exemplo, já doentes.

Fique de olho no especificado pela corretora que você pesquisou e gostou. Ela deverá lhe passar a lista de documentação para dar continuidade ao processo de contratação.

4. Leia e releia a apólice e o contrato

Depois de entregar os seus documentos para a corretora, o próximo passo é esperar que ela lhe envie o contrato e a apólice. Antes de simplesmente assinar, entretanto, é imprescindível ler e reler tudo o que consta nos papéis para não contratar “gato por lebre”.

Como a linguagem desses documentos costuma ser mais técnica e profissional, tenha o tempo que tiver necessidade para fazer essa leitura. Se possível, leve até mesmo para que algum advogado avalie se está tudo tal como foi acordado.

Leia as cláusulas e saiba exatamente quais são as situações que estarão cobertas por sua apólice. Tire todas as suas dúvidas junto ao corretor e só assine depois de ter absolutamente tudo claro.

5. Lembre-se de avisar sua família

Por fim, o último passo e dica sobre como fazer um seguro de vida é lembrar-se de avisar seus familiares sobre esta contratação. Infelizmente, no caso de necessidade, ou seja, se algo lhe acontecer, são eles que deverão contatar a corretora para ter acesso a apólice.

Muita gente acaba contratando o seguro de vida, mas não fala para a sua família nem lhe dá as coordenadas do que fazer em caso de necessidade. Com isso, o seguro tende a ficar perdido uma vez que a corretora não entrará em contato com seus entes, certo?

Por isso, sempre lembre seus familiares que caso algo lhe aconteça eles devem recorrer a este seguro. Afinal, uma vez que ao contratar você faz isso para garantir que aqueles que ama fiquem assegurados mesmo em meio a um momento ruim, eles devem usar a apólice!

Viu como é fácil contratar um seguro de vida? Ao seguir os passos e dicas indicados aqui, com certeza você não correrá o risco de errar em sua escolha!

E, apesar de você já saber como fazer um seguro de vida agora, que tal pegar um atalho e conferir direto suas melhores opções? Conheça os seguros de vida disponibilizados pela Yoshie & Maia e não fique mais nenhum dia sem esta proteção!

Como funciona um seguro de vida e quais as coberturas?

como funciona um seguro de vida

O número de interessados em saber como funciona um seguro de vida tem crescido no Brasil. Depois de se preocupar em resguardar bens, como carros e casas, o brasileiro enfim tem entendido a importância de dar atenção à sua própria vida.

E se você faz parte do grupo que entende porque é necessário ter um seguro para os imprevistos, este conteúdo será ótimo para você! Além de tirar dúvidas e entender o que é e como funciona um seguro de vida, aqui você ainda poderá conferir seus principais benefícios.

Não sabe qual o tipo certo de cobertura para contratar? Não tem problema! Continue lendo e descubra tudo sobre como proteger a sua vida e também dos familiares a partir deste cuidado.

O que é e como funciona um seguro de vida?

O seguro de vida nada mais é do que a contratação feita por uma pessoa física com uma entidade jurídica. O contratante paga mensalmente um valor prefixado a fim de ter a segurança e garantia de que, caso algum acidente o invalide ou leve a óbito, sua família venha a receber a apólice contratada.

Apólice, por sua vez, é o valor a que os beneficiários terão acesso em caso do seguro ser requerido. Esse valor pode variar muito dependendo exclusivamente da contratação feita.

Para entender como funciona um seguro de vida é válido destacar que essa cobertura considera também a idade do contratante. Quanto mais velho, maior o valor a ser pago. Inclusive, há seguradoras que não aceitam novas contratações se os contratantes tiverem mais que 60/65 anos.

Os benefícios de ter um seguro de vida

Mas, quais são os benefícios de um seguro de vida? Com certeza essa é uma das perguntas mais recorrentes tanto na hora da consideração quanto na contratação de um seguro.

“Se só serve para a morte, eu quero distância!”, você pode estar pensando ou pode já ter pensado antes. Mas, é claro que não é bem assim. Entenda quais são os principais benefícios ao contratar um seguro de vida e descubra porque a procura deste serviço tem crescido tanto:

Proteção para a família

O primeiro benefício e fator determinante para a contratação de um seguro de vida é que este é um cuidado especial com a sua família. Realmente, quem contrata o seguro para si nem sempre usufruirá de vantagens especiais. Ainda assim, é importante pensar como a sua família ficaria caso você viesse a faltar hoje.

Infelizmente, acidentes e imprevistos acontecem sem aviso prévio. E, seja você um pai de família ou uma mãe que cuida de absolutamente tudo e de todos, não se precaver dessas situações pode ser um terrível engano. Quem cuidará de seus filhos e cônjuge caso algo aconteça? O seguro de vida tem justamente o papel de proteger seus entes nesse momento.

Vale lembrar que, além da família, um seguro de vida pode ser colocado no nome de qualquer pessoa que você indique. Portanto, essa é uma contratação personalizada em que o contratante deve determinar expressamente quem terá direito e acesso a apólice, certo?

Não é usado apenas em caso de morte

Outro benefício que vale também citar é que o seguro de vida não é usado exclusivamente quando o contratante vem a óbito. Pelo contrário, esta é uma segurança para os casos em que você vier a sofrer um acidente e ficar, por exemplo, inválido.

Muita gente, infelizmente, se esquece dessa possibilidade e contar com o governo não é algo fácil, certo? Agora, imagine-se em uma condição de perda de movimentos, recebendo um salário mínimo e olhe lá! Será que a vida tanto sua quanto da sua família continuaria tendo o mesmo conforto e qualidade?

Acredite, se resguardar seus entes queridos caso você venha a falecer não é um motivo suficiente para fazer um seguro de vida, com certeza esta segunda situação será. Infelizmente ela é tão comum e inesperada quanto a primeira. Além disso, alguns seguros de vida ainda cobrem despesas médicas e até doenças graves.

Apólice contratada de acordo com suas necessidades

O último benefício que vale destacar é que para responder a pergunta como funciona um seguro de vida é necessário lembrar que ele é variável. Além do básico, que é comum a todos, esses seguros costumam se diferenciar para atender necessidades mais específicas.

Desta forma, o valor final da sua apólice e também sua cobrança mensal serão exatamente um resultado deste conjunto. Ou seja, o que você quer, o que você precisa e o que a corretora tem a lhe oferecer. Quanto mais tais fatores se encaixarem, melhor!

Tratando-se do assunto é importante destacar a importância de escolher bem pela sua corretora. Aliás, esse é um dos passos sobre como fazer um seguro de vida. Não tenha dúvidas que o melhor é pesquisar até encontrar o seguro perfeito para você!

Quais são os tipos de cobertura para este seguro?

Você sabia que existe mais do que um tipo de seguro de vida? Como mencionado antes, além das variações e personalizações existentes, na hora de contratar, é possível escolher entre as opções disponíveis. Confira a seguir a finalidade de cada uma das coberturas mencionadas:

Seguro para acidentes pessoais

Com cobertura mais simples, muita gente confunde o seguro de vida com o seguro para acidentes pessoais. Entretanto, o valor do prêmio é incrivelmente baixo quando comparado aos modelos tradicionais, por exemplo.

Seguro de vida resgatável

Pagar algo para o resto da vida é um comprometimento muito arriscado, principalmente se você parar de pagar e perder todo o valor investido. Por isso, o seguro de vida resgatável é uma alternativa para quem quer mais segurança já que geralmente após dois anos é possível resgatar parte do prêmio contratado.

Seguro de vida temporário

Válido por um período preestabelecido, este tipo de seguro não é resgatável. Geralmente o valor da apólice é menor do que nos outros seguros e sua indicação é para pessoas que estejam passando por uma situação específica.

Seguro de vida tradicional

Por fim, o seguro de vida do tipo tradicional é o mais buscado e contratado no mercado. É uma opção mais barata e que é interessante para quem não tem a intenção de resgatar o valor guardado. Aqueles que buscam apenas guardar dinheiro para seus entes tem uma opção aqui.

Depois de descobrir tudo sobre como funciona um seguro de vida é hora de contratar um para você. Aproveite para conhecer as opções disponíveis na Yoshie & Maia e fique completamente resguardado em seu dia a dia. Não corra o risco de ser pego desprevenido, certo?

Como fazer um seguro de celular?

como fazer um seguro de celular

Pensar em perder o seu celular já lhe dá calafrios? Com certeza sim! Vive assustado achando que irão roubar seu aparelho? É provável! E é justamente devido a esse sentimento de medo que muitas pessoas têm pesquisado hoje em dia sobre como fazer um seguro de celular.

Garantindo uma maior segurança a um bem que está cada vez mais caro, se você tem curiosidade em saber como este seguro funciona, está no lugar certo!

Apesar de que para alguns essa modalidade é uma grande novidade, dia após dia a procura por este seguro tem aumentado. Uma de suas grandes atratividades é o baixo valor investido para garantir que você não tenha prejuízos frente a imprevistos comuns do cotidiano.

Quer saber como fazer um seguro de celular e entender mais a fundo esta modalidade? Leia!

Por que fazer um seguro de celular?

O número de furtos e de roubos tem crescido assustadoramente no Brasil. Hoje, infelizmente, já não existe mais um lugar seguro em que estar para usar o seu celular. Seja no ponto de ônibus, no shopping, ou dentro da sua casa, o risco é constante.

Além do valor do aparelho em si, há ainda o risco de perder as informações que estão nestes celulares.

Quantas pessoas não armazenam inúmeros de seus dados pessoais e profissionais nesses dispositivos? Integram sua agenda e até mesmo softwares de seus negócios dentro deste pequeno aparelho, que pode simplesmente ser levado embora?

É devido a esse contexto que o seguro de celular foi criado. Ele visa garantir que você tenha mais tranquilidade e segurança caso algum imprevisto venha a acontecer.

Vantagens do seguro celular

A contratação de seguros sempre é interessante por garantir que algum bem seu seja preservado. Pode ser o celular, o carro, a casa ou até mesmo a sua vida e de seus familiares. Sempre existem vantagens claras por trás de cada contratação!

Quais são as principais vantagens para quem decide saber como fazer um seguro de celular?

Custo de investimento baixo

A primeira grande vantagem na hora de contratar um seguro de celular é o fato de que este é um custo incrivelmente baixo. Geralmente o valor cobrado varia de 10 a 15% do que o aparelho custou, sendo que este valor pode ainda ser dividido em algumas vezes dependendo exclusivamente do contrato com a seguradora.

Existem seguros de celular que custam R$ 6 reais mensais. Outros são um pouco mais caros por se tratar de iPhones e Smartphones de tecnologia de ponta, vão de R$ 20 a R$ 25 por mês.

Franquia com custo baixo também

Além de pagar mensalmente o prêmio contratado, vale lembrar que em caso de necessidade, como a quebra do seu aparelho, será imprescindível arcar com a franquia. Caso o seu aparelho seja, por exemplo, roubado será preciso pagar de 10 a 20% do valor para retirar um novo.

Ainda assim, isso compensa bastante. Afinal, considere que o seu aparelho assegurado teve um custo de R$ 2 mil reais. Se a franquia a ser paga for de apenas R$ 400 reais, compensará muito, pois você terá um novo celular com que contar!

Troca de aparelho

Ainda falando sobre a possibilidade de troca de aparelho, quem contrata um seguro celular tende a acumular pontos dentro de alguns planos para a realização desta troca.

Vale a pena checar essa possibilidade antes da contratação para entender melhor se ela está inclusa no seu seguro e como funciona, certo?

3 dicas sobre como fazer um seguro de celular

Depois de descobrir o básico sobre o seguro celular, é hora de acompanhar dicas e passos sobre como fazer este seguro. Para ter tranquilidade e segurança é indispensável se atentar aos três tópicos a seguir, já que assim você terá a garantia de ter uma boa proteção. Veja:

1. Escolha a seguradora

A primeira dica e passo é escolher a qual seguradora você dará a chance de se provar a melhor na hora de fazer um seguro celular. São várias as opções no mercado, entretanto é claro que nem todas atenderão plenamente as suas necessidades sendo indispensável uma pesquisa.

Para definir uma seguradora é importantíssimo conhecer mais sobre ela, sua trajetória e experiência. Veja os depoimentos daqueles que já são clientes e tenha a certeza de que no momento de necessidade, a empresa corresponderá sendo ágil e precisa.

Afinal, tudo o que foi combinado e devidamente colocado em contrato deve ser prontamente oferecido a você, caso seja necessário recorrer ao seu seguro!

2. Atenção à cobertura contratada

Assim como nos demais seguros, nem tudo está coberto quando você faz uma contratação dessas. Por isso, é imprescindível tirar todas as suas dúvidas antes de contratar um plano. O que será atendido? O que não está coberto no plano contratado?

A seguradora tem total direito de escrever e estipular quais são os casos em que ela arcará com o seu prejuízo. Isso está claro no contrato a que você deverá aceitar para dar continuidade à contratação.

Um exemplo clássico do que não está coberto nesse tipo de seguro é o furto simples, chamado de “desleixo do cliente”. Ou seja, quando você mesmo coloca o seu bem em risco acabando por perdê-lo graças a isso. Neste caso, não espere o ressarcimento, certo?

3. Operadora x corretora

A última dica é entender que sim, a sua operadora oferece um seguro para celular que vem incluso na fatura e que costuma ter um valor incrivelmente baixo. Mas, você realmente espera encontrar qualidade neste serviço?

Considerando que as operadoras de telefonia são um verdadeiro exemplo de descaso com os clientes, evidentemente este será apenas mais um motivo para ter dores de cabeça! Se não valorizam seus usuários, tão pouco as operadoras valorizarão os contratantes destes seguros que são simples demais e que praticamente não lhe acrescentam.

Se a ideia é ficar longe de problemas perante um prejuízo como este, não escolha a operadora como sua opção de contratação. Prefira uma seguradora que seja expert no assunto.

Agora que você sabe como fazer um seguro de celular, aproveite para conhecer as opções de seguro disponíveis na Yoshie & Maia. Conte com a qualidade e com a garantia de quem entende de fato do assunto. Contrate com mais segurança!

Cobertura seguro residencial: Conheça os detalhes!

cobertura seguro residencial

Resguardar um dos bens materiais mais preciosos que você e sua família possuem deveria ser uma prioridade. Entretanto, segundo pesquisas oficiais da Federação Nacional de Seguros, apenas pouco mais de 13% das casas possuem uma cobertura residencial. E, é claro, a maioria não aderiu simplesmente porque não conhece tão pouco entende este seguro!

Você faz parte do grupo que, por ter dúvidas, ainda não fez uma cobertura de seguro residencial?

Está na hora de mudar isso e você está no lugar certo! O primeiro passo para contratar uma cobertura residencial é entender a sua importância. Por isso, mais do que lhe vender um plano, neste post você encontrará detalhes sobre as principais coberturas existentes.

Entenda o que é uma cobertura residencial, quais seus benefícios para o contratante e o valor.

Veja ainda que é uma segurança e conforto para a família ter este seguro. Afinal, ninguém quer passar por imprevistos, entretanto eles acontecem, não é mesmo? Continue lendo!

O que é uma cobertura residencial?

Antes de detalhar sobre quais são as opções de cobertura residencial disponíveis no mercado vale definir o que é isso. Apesar de você já ter uma ideia sobre o assunto, será que sabe a fundo o que um seguro faz?

Mais do que pagar mensalmente por um determinado valor, a cobertura seguro residencial está completamente apta a suprir imprevistos. Dependendo do plano adquirido sua casa estará assegurada caso passe por panes elétricas, furtos e até mesmo tempestades danosas.

Há seguros residenciais que protegem seu imóvel da queda de raios, de explosões e até de incêndios!

Em média, o valor de uma cobertura residencial costuma ser apenas 0,3% do valor total do imóvel assegurado. Ou seja, um valor pequeno, mas que pode ser extremamente útil em meio a diferentes necessidades, certo?

Principais opções em cobertura residencial

Evidentemente não existe apenas uma opção de cobertura do seguro residencial, mas pelo contrário. Hoje em dia há várias opções, que vão do mais simples ao mais detalhado possível na hora de resguardar o seu imóvel.

Os planos mais simples costumam ser mais baratos, porém é interessante conhecer todos antes de escolher. Muitas vezes a diferença a ser paga pode ser mínima, entretanto as vantagens da outra opção de plano são bem melhores. É preciso ficar atento!

Veja a seguir quais são as principais coberturas residenciais e o que está assegurado por elas:

Cobertura Seguro Residencial Básica

O plano básico é aquele mínimo exigido para ser comercializado. Ao contratá-lo, seu imóvel estará assegurado nos casos de quedas de raio, incêndio natural ou criminoso, além de explosão. Caso sua casa passe por alguma dessas situações, os prejuízos correspondentes serão reembolsados pela cobertura residencial contratada.

Vale lembrar que todo seguro residencial começa com esta base. O que vem depois dela são as coberturas adicionais. Essas demais coberturas residenciais variam, portanto, conforme a necessidade do contratante. Confira a seguir quais são elas:

1. Acidentes pessoais

Importantíssimo principalmente para quem fica bastante dentro de casa ou tem diarista, esse adicional é uma garantia com que contar. Caso algum acidente ocorra dentro da sua casa, com esta cobertura será possível garantir uma indenização. Você poderá dar entrada no pedido tanto em caso de invalidez quanto de morte causada por acidentes.

2. Danos e panes elétricas

Infelizmente é bastante comum que as casas sofram curtos-circuitos. Nessa hora, vários de seus eletros ligados na tomada podem ser prejudicados e podem até mesmo queimar. Já imaginou o saldo negativo? Todavia, se você tem uma cobertura residencial com previsão para danos e panes elétricas, tais prejuízos poderão ser ressarcidos.

3. Desmoronamentos

Infelizmente o desmoronamento é um evento bastante comum nas terras brasileiras. Despreocupados na hora de construir suas casas, ou até mesmo por não ter entendimento do risco de alguns terrenos, essa cobertura tem sido bem procurada.

4. Escritório em residência e documentos pessoais

Muita gente trabalha dentro de casa e para ter seu negócio assegurado precisa contar com uma cobertura seguro residencial específica. Também existem planos que ajudam na hora de tirar novamente documentos pessoais, que podem ter sido perdidos graças a incidentes.

5. Impacto de veículos e queda de aeronaves

Você está fora de casa, trabalhando, quando vê pelo jornal que um carro desgovernado entrou na sua sala. Ou, pior, que uma aeronave perdeu o controle e caiu em cima daquilo que você demorou anos para construir. Assustador, não é? Apesar de não serem coisas que vemos todos os dias, há riscos e chances de isso acontecer. E por isso mesmo existe esse adicional.

6. Pagamento de aluguel ou perda

Excelente tanto para quem paga aluguel quanto para quem recebe, esse seguro é interessante. Caso você seja inquilino e tenha problemas financeiros para arcar com seu compromisso, poderá contar com uma ajuda. Caso seja o dono do imóvel e este fique desocupado, também terá alguns alugueis para receber até alugá-lo novamente.

7. Responsabilidade civil familiar

Uma opção praticamente não conhecida diz respeito ao pagamento de ações judiciais tanto a membros da família quanto a empregados. Esta responsabilidade civil familiar também diz respeito aos gastos com despesas médicas que poderão ser arcados pelo seguro.

8. Roubo e furto

Uma das coberturas mais procuradas no mercado, vale lembrar o que é roubo e o que é furto para entender este adicional. Roubo é a subtração de bens mediante força e violência. Já furto é esta mesma subtração, entretanto, quando você não está na sua casa, por exemplo. O adicional cobre a ambas as situações, desde que seus bens estejam descritos em uma lista.

9. Tempestades

Vendavais, ciclones, granizo, tornado e até mesmo furacões constituem outro adicional da cobertura residencial. Apesar de não ser algo tão comum em todas as partes do território nacional é importante ressaltar que algumas regiões estão mais propensas a isso. Para não ter prejuízos, o mais indicado é arcar com este custo mínimo mensal.

10. Vazamentos

Por fim, vale lembrar ainda da cobertura adicional contra vazamentos. Vai que um cano estoura no meio da sua casa, não é mesmo? Com este tipo de seguro você poderá resolver muito mais rapidamente, além de ter mais segurança!

Como você pode conferir nesses tópicos, uma cobertura residencial pode ser incrivelmente básica ou completa. As variações acontecem justamente mediante a necessidade do contratante. Por isso, vale a pena escolher com atenção não só ao seu seguro, mas também a cada adicional oferecido por ele!

Em dúvida sobre qual é a melhor opção em cobertura para seguro residencial? Não tem problema, isso é comum! Aproveite para conhecer as opções da Yoshie & Maia e converse com quem entende do assunto antes de contratar! Tenha segurança na escolha da cobertura residencial!