Como cotar o seu seguro de forma eficaz?

Cotação de seguros

A contratação de seguros já faz parte da vida do brasileiro. E, por isso mesmo, é importante falar sobre como cotar seguro. Afinal, muita gente fica em dúvida na hora de escolher pelo plano mais adequado para si, para seu bem e para a sua família como um todo.

Se você faz parte deste grupo que não entende absolutamente nada sobre a cotação de seguros, seja bem-vindo. Este conteúdo foi feito para você! Confira ao longo deste material dicas sobre como fazer a escolha certa tratando-se de seguros.

Seja para cotar um seguro de carro, um seguro de vida ou outro, é indispensável comparar a fim de encontrar sempre a melhor opção! Veja também neste artigo qual é a melhor opção hoje para que você faça a sua cotação, se online ou pela corretora. Continue lendo!

O que considerar na hora de fazer a cotação de seguro?

Cotar seguro faz parte da rotina de muitos brasileiros que entendem a importância dessa contratação, mas que ainda não efetivaram um contrato. Seja por medo de perder dinheiro, por não saber exatamente o que avaliar ou qual opção escolher, é interessante saber o que precisa de fato ser considerado no momento da contratação.

A seguir estão destacados alguns desses fatores que são determinantes para o sucesso da cotação de seguros. Veja a seguir como encontrar o contrato ideal para aderir e se ver, a partir de então, assegurado frente a inúmeros imprevistos do cotidiano:

1. Saiba qual o tipo de cobertura a ser adquirida

Quando você for cotar seguro é importante ter em mente que existem várias opções disponíveis no mercado. O valor depende muito do tipo de cobertura pretendida de se adquirir, por isso compare apenas os seguros que forem semelhantes entre si.

Faça a cotação de seguros considerando este ponto como fator principal. Contraste os seguros básicos e avalie os adicionais para ter uma ideia do custo x benefício oferecido por cada seguradora. Saiba qual o tipo de cobertura que você precisa também!

2. Colha o máximo possível de informações sobre o seguro

Quanto mais informações tiver sobre o seguro, melhor para embasar sua decisão. Por isso, atenha-se a esses detalhes na fase de cotação. Muitas vezes as pessoas observam e cotam apenas valores e esquecem-se deste que é um importante detalhe.

Por uma mínima diferença, deixam de contratar seguros que são bem mais completos e vantajosos. Por isso, é interessante ir além do óbvio, que é justamente o valor pago mensalmente para a seguradora. Dedique-se mais tempo a essa pesquisa observando todos os detalhes e informações disponibilizadas pela empresa antes da contratação.

3. Considere o valor que você está disposto a pagar

Durante a cotação de seguros é importante que você tenha em mente também quais são os valores que você está disposto a pagar. Por mais que certos seguros mostrem-se mais interessantes e completos, se não estiverem dentro do valor planejado, pode ser que você precise continuar a sua pesquisa. Afinal, será necessário manter esse pagamento depois.

Além de considerar o valor mensal a ser pago é importante atentar-se ao valor da apólice também. De quanto será o prêmio caso você precise utilizar a sua franquia? Aliás, qual o valor da franquia caso você precise utilizar sua seguradora?

4. Fique de olho no que o seguro não cobre

Por fim, não menos importante, fique de olho no que o seguro não cobre, afinal muita gente acaba se assustando quando descobre, mediante momentos de sufoco, que sua franquia não cobre determinadas coisas. Por exemplo, considere se o seguro disponibilizará a apólice caso você seja roubado ou furtado, ou ainda caso o carro passe por um alagamento.

Na hora de cotar e posteriormente contratar um seguro, não tenha dúvidas sobre o que está coberto. Verifique com atenção a cada pequena cláusula do contrato e apenas assine depois que tiver certeza de cada detalhe, certo?

Online ou corretora? Qual o melhor meio para cotar seguro?

Por fim, vale a pena apresentar as duas formas que têm sido mais usadas atualmente para a realização das cotações de seguros. Você acha que é melhor cotar no modo online ou, à moda antiga, através das corretoras? Confira a seguir quais são as vantagens e desvantagens:

Cotação online

A modernidade trouxe inúmeras tecnologias e ferramentas, como você bem sabe. E, para fazer a cotação de seguros através deste meio, não é necessário muito. Basicamente, ao passo de poucos cliques você consegue comparar opções de planos no mercado a fim de dar seu aval.

A internet possibilita ainda que você esteja em contato direto com inúmeras opções. Todavia, é preciso ter muita atenção neste meio! Infelizmente, para aqueles que não estão tão acostumados a fazer tais cotações, o barato pode realmente sair muito caro!

Apesar da praticidade e da agilidade deste tipo de cotação, não é indicado que seja utilizado especialmente por quem não está familiarizado com o assunto. Não corra o risco de ser enganado ou ainda “levar gato por lebre”, como diz um velho dito popular.

Cotação com a corretora

A principal vantagem de fazer a cotação de seguros com uma corretora é a segurança. Você pode confiar e esperar algo da corretora que, é claro, precisa ter renome dentro do mercado.

A experiência da empresa fará com que você tenha muitos benefícios ao contratar um seguro pesquisado e disponibilizado pela mesma. As chances de você não ter dor de cabeça são, portanto, muito maiores!

Entre as desvantagens vale citar apenas o fato de que este tipo de cotação de seguros pode demandar um pouco mais de tempo. Todavia, em contrapartida, você pode esperar a cotação chegar sem correr atrás de inúmeros contatos e opções. A corretora faz todo este trabalho por você, lhe deixando livre para outras preocupações.

Você finalmente sabe como fazer a cotação de seguro, agora que tal tirar outras dúvidas com quem é referência neste mercado? Aproveite para cotar com a Yoshie & Maia e garanta uma melhor orientação no momento da contratação do seu seguro! Saiba mais agora mesmo!

Corretora de seguro: Como escolher a melhor opção?

Corretora de seguros

As corretoras de seguro têm feito cada vez mais parte da vida e do dia a dia do brasileiro. A fim de estar precavido perante os imprevistos cotidianos, saber como escolher a melhor opção dentro desse mercado amplo é indispensável. Afinal, se o objetivo é estar sempre seguro, faz-se necessário investir em uma corretora transparente e com excelência, certo?

Você pode estar procurando por uma opção para seguro de vida ou para seguro auto, realmente tanto faz. O primeiro passo para não ter dores de cabeça no assunto é escolher a corretora certa. Mas, fazer isso nem sempre é tão simples, afinal todas se intitulam como sendo “a melhor”. O que fazer então?

Primeiramente, escolher a corretora certa de seguros a partir de uma análise crítica e detalhada. E, se você não sabe para onde olhar durante esta análise, fique sabendo que ao longo deste artigo aprenderá exatamente sobre como fazer isso. Por isso, leia tudo!

7 dicas para escolher corretamente a melhor corretora de seguros!

Precisa fazer um seguro, mas não sabe ao certo qual é a corretora ideal para as suas necessidades? A seguir estão elencadas 7 dicas e pontos em que reparar, antes de integrar a cartela de clientes da corretora!

Repare em cada um desses pontos com bastante atenção e só assine o contrato após ter todas as dúvidas esclarecidas, bem como certeza da sua escolha. Não ceda a pressão, infelizmente comum, que por vezes é exercida pelo corretor para que você faça a contratação.

1. A corretora possui muitas reclamações?

O primeiro ponto em que reparar é se a corretora de seguros possui muitas reclamações. Mas, como descobrir isso? Na Era Digital isso é realmente fácil! Basta pesquisar pelo nome da corretora nos mecanismos de busca, acrescentando um “reclamações” no final e pronto! As primeiras páginas lhe trarão muitas informações em que reparar!

Praticamente tudo o que estiverem falando da empresa estará disponível lhe possibilitando avaliar quais são os problemas mais recorrentes. Além de saber quais são eles, repare como a corretora lida com cada caso e procure descobrir como tais situações são resolvidas. Quanto mais rápido as reclamações são ouvidas, mais pontos positivos para a empresa.

2. A metodologia de trabalho da corretora permite agilidade?

Burocracia demais é sinônimo de estresse e dor de cabeça. Pensando nisso, é importante sempre avaliar bem quais as metodologias de trabalho da corretora de seguros antes da sua efetiva contratação. Afinal, quais são os passos para usufruir da apólice caso seja necessário?

Existem muitas corretoras que funcionam de uma forma linda na teoria, todavia, a prática nem sempre é a mesma. Para tais casos, o contratante acaba tendo muito mais dificuldades do que gostaria nos momentos que nem sempre são os melhores da vida. Afinal, todos querem fazer o seguro, mas ninguém quer ter que usá-lo, não é mesmo?

3. Documentos e cópia da proposta: Avalie com atenção!

Sempre que você for dar entrada em um seguro, seja ele qual for, lhe será requisitado uma série de documentos. Passada essa fase, você terá em mãos um contrato que é idêntico ao que a corretora de seguros guardará para si. Que tal avaliar com atenção a cada uma das cláusulas?

Como a linguagem utilizada nos contratos nem sempre é tão simples, procure um auxílio profissional caso seja necessário! O importante mesmo é não assinar nada enquanto cada um dos pontos deste documento não estiver suficientemente claro para você, certo? Não tenha pressa, pelo contrário, tenha o seu tempo para entender, decidir e também assinar.

4. O atendimento prestado a você foi bom?

Outra dica importantíssima, antes de escolher a sua corretora de seguros, é reparar bem no atendimento. Como você tem sido atendido a cada contato? Você tem alguma reclamação nesta fase inicial ou está tudo perfeito? Qual a primeira impressão da corretora?

Além de reparar nisso tudo que foi mencionado, é válido observar os demais atendimentos também. Será que os clientes que já contrataram os seguros também consideram o atendimento bom? Não tenha medo de encontrar alguém para questionar isso!

5. Que tal checar os depoimentos dos clientes?

Por falar nos demais clientes, é sempre válido dar aquela olhada nos depoimentos também. Geralmente no site da corretora de seguros há um espaço reservado justamente para este fim!

Nos depoimentos é possível entender um pouco melhor sobre como a corretora atende as expectativas de cada um de seus assegurados. Leia e releia com bastante atenção antes de tomar a sua decisão sobre se tornar ou não um cliente.

6. Qual o apoio administrativo e logístico ao corretor?

É claro que você estará em contato direto com um corretor que representa a seguradora. O corretor lhe mostrará absolutamente tudo que precisa saber sobre o pacote contratado e lhe esclarecerá dúvidas.

Nesse momento procure reparar no apoio administrativo e logístico concedido ao corretor. Como a corretora de seguros trata os seus próprios funcionários? Ela disponibiliza equipamentos e ferramentas que demonstram investimentos para a criação de um melhor ambiente de trabalho? Quanto mais pontos positivos enxergar, melhor!

7. Ponta do lápis: Considere os benefícios financeiros, é claro!

Por fim, não menos importante, é preciso considerar os benefícios financeiros. A relação custo x benefício sem dúvida tem que ser atrativa para que você decida por contratar o seguro, não é mesmo? Afinal, você espera um serviço em contrapartida ao pagamento!

Veja o valor que tem disponível para fazer o pagamento do seguro. Considere também a apólice a qual você terá direito, caso precise utilizar o recurso e outros detalhes como este. Entenda quais procedimentos serão necessários caso você decida desistir da contratação e contrate apenas se estiver consciente de ter feito a melhor escolha.

A melhor corretora de seguros, como você já deve estar pensando, é justamente aquela que atende a todos esses pontos e necessidades. Quanto mais alinhada com essas dicas a corretora estiver, mais seguro será integrar a sua cartela de clientes.

Aproveite que agora você já sabe como escolher corretamente pela sua corretora de seguros e entre em contato com a Yoshie & Maia! Tire todas as suas dúvidas sobre seguros e escolha a melhor opção, com quem é referência neste mercado e atende a todos esses requisitos.

Seguro de carro: Entenda como funciona e os passos para contratar!

Como funciona o seguro de carro

Acidentes, furtos e outros imprevistos fazem parte de tudo o que uma pessoa enfrenta diariamente. Como nem sempre dá para sair ileso de todos os possíveis acontecimentos a que estamos sujeitos, nessa hora surge o seguro como uma alternativa para diminuir os prejuízos. Entre eles, o seguro de carro é um dos mais conhecidos, sabe por quê?

Bem de alto valor aquisitivo, o primeiro geralmente que uma pessoa conquista em sua vida, resguardar o carro é uma necessidade. Uma vez que o seguro de carro ajuda a prevenir inúmeras situações, como furtos e acidentes, é necessário saber contratar este serviço.

Neste artigo você entenderá detalhes sobre como funciona o seguro de carros. Afinal, você sabia que dependendo do tipo de cobertura nem tudo está assegurado pela seguradora? Como é imprescindível ter atenção no momento de contratar este serviço, confira a seguir dicas!

O que é seguro de carro?

Assim como um seguro de vida, o seguro de carro é uma contratação que tem por finalidade ressarcir o contratante em determinados casos previamente apontados em contrato. No geral, estão assegurados casos de acidente e roubo. Porém, vale lembrar que as seguradoras possuem certa liberdade para construir seus planos conforme queiram.

O objetivo principal, em resumo, é não ter ou ao menos diminuir os prejuízos para o proprietário que tem o seguro. A apólice é o prêmio ao qual o contratante tem direito nos casos apontados ao longo da construção do contrato firmado entre as partes.

Apesar de ninguém querer fazer uso da apólice, afinal para isso terá que ter passado por um acidente ou algum tipo de situação trágica, como roubo ou furto, esse é um direito para o contratante e também proprietário do carro. Caso tenha passado por situações tais como as descritas, o portador do seguro de carros deverá entrar em contato com a seguradora.

Como contratar um seguro de carro?

Contratar um seguro de carro é algo realmente fácil de fazer. Aliás, hoje em dia, existem muitas corretoras que atuam justamente com este tipo de negócio. Sua principal preocupação deve ser, primeiramente, contratar um seguro de carro de uma seguradora competente, eficiente e idônea para que assim venha a ter tranquilidade na resolução de quaisquer problemas.

Para dar entrada na contratação é preciso verificar diretamente com a sua seguradora quais são os documentos requeridos. No geral é solicitado que se apresentem documentos pessoais e também do veículo, sendo os principais:

  • RG;
  • CPF;
  • CNH – Carteira Nacional de Habilitação;
  • CRV – Certificado de Registro do Veículo;
  • CRLV – Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo;
  • Entre outros.

É importante que você verifique junto à seguradora escolhida sobre quem poderá dirigir o carro assegurado. Em alguns casos e planos, a seguradora está obrigada a cobrir prejuízos apenas se o condutor for o próprio contratante, ou ainda se estiver dentro de uma determinada faixa etária previamente estabelecida em contrato.

Para não perder o direito a apólice é indispensável se atentar a esse ponto, bem como a cada pequena cláusula que o seguro de carro tenha. Assine a contratação apenas depois de ter todas as suas dúvidas esclarecidas e elimine os riscos de perder o seu direito de recebimento.

Como funciona o seguro de carro?

O funcionamento do seguro de carro é bastante simples: Mensalmente, o contratante paga um valor predeterminado à seguradora. Esta, por sua vez, está obrigada a socorrer o proprietário do veículo caso algum tipo de acidente aconteça.

Como muitas pessoas contratam e pagam mensalmente o seguro de carro, a seguradora administra esse dinheiro de modo que, quando um de seus contratantes precisar, terá como disponibilizar de pronto a apólice.

E, como já mencionado antes, mesmo que ninguém queira usar de fato a apólice, isso pode ser necessário. Portanto, é indispensável manter o pagamento devido a seguradora sempre em dia mesmo que não tenha sido necessário utilizar os serviços da mesma.

Outro ponto importante de ressaltar é que a contratação do seguro de carro não possui um prazo de término. Diferente de um consórcio que é pago mensalmente e que depois lhe disponibilizará um valor para uso, caso deseje encerrar o contrato verifique quanto do valor poderá ser reavido. Essa porcentagem varia de seguradora para seguradora.

Como acionar? Quais os tipos de cobertura?

Existem vários planos para que você encontre e contrate o ideal para o seu caso. O seguro de carro mais simples e básico costuma prever colisões, capotamentos, além da queda de objetos em cima do carro. Em alguns casos o contratante está seguro quando sofre danos de terceiros ou quando o carro é exposto a danos ambientais, como alagamentos e incêndios.

Em alguns casos os roubos e furtos já estão inclusos nesse pacote básico, enquanto em outros não. Também existem casos em que há a possibilidade de contratar um seguro apenas para estes dois casos. Valendo lembrar que tratando-se do furto existem planos que consideram apenas o carro como um todo e não suas partes como som e rodas.

Para acionar e dar entrada na apólice geralmente é necessário ter em mãos o Boletim de Ocorrência, que comprove o acontecido, especialmente nos casos de furto ou roubo. Ou ainda outros tipos de prova como fotos e vídeos que mostrem o estrago sofrido no auto.

As seguradoras têm um prazo que varia dependendo do acidente para disponibilizar a apólice, que também varia o seu valor conforme estabelecido na contratação.

Por que você precisa de um seguro de carro?

Para finalizar, agora que você já sabe mais do que nunca o que é um seguro de carro é importante falar sobre por que contratar. Será que você precisa fazer esse investimento?

Uma vez que as coisas negativas nunca acontecem na vida de forma planejada ou esperada é claro que o seguro de carro é uma ótima oportunidade de não ficar na mão de uma hora para a outra. Além do mais, muitas empresas oferecem hoje em dia outros serviços para deixar o seguro ainda mais completo e atrativo.

Aproveite para conhecer as soluções da Yoshie & Maia para escolher o melhor seguro de carro para você. Tire suas dúvidas e fique tranquilo com quem entende de segurança.

Contrato de Seguro: Entenda cada uma das cláusulas!

contrato de seguro

A adesão a seguros de vida, residenciais e de automóveis tem crescido muito ao longo dos últimos anos no Brasil. Cada vez mais as pessoas se preocupam em resguardar seus bens a fim de evitar eventuais imprevistos. E, com esta maior demanda, torna-se imprescindível debater sobre o documento que rege este tipo de contratação. Ou seja, o contrato de seguro!

Todos sabem que contratos são reconhecidos pela Lei uma vez que estejam corretamente redigidos. Mas, na hora de assiná-los nem sempre é fácil verificar se tudo está como foi acordado de boca. Infelizmente, a linguagem usada nos contratos, independente de sua espécie, costuma ser um pouco mais complicada.

“Como assinar então um contrato de seguro com confiança e certeza?”, você pode estar se questionando. E é exatamente sobre isso que trata este conteúdo.

Entenda a seguir o que é e como funciona um contrato de seguro e saiba em que reparar com maior atenção na hora de fazer a assinatura do documento. Conheça, por fim, termos que são frequentemente usados dentro destes documentos e contrate sem ter dúvidas!

Como funciona um contrato de seguro?

O contrato de seguro é um contrato do tipo unilateral. Ou seja, a não ser que o valor da apólice seja muito alto, uma transação financeira de bastante impacto, geralmente este documento é redigido apenas por uma das partes.

O contratado, chamado também de corretora, é o responsável por fazer a redação do documento que deve seguir preceitos legislativos. A natureza jurídica deste contrato deve ser clara, limpa, concisa e específica, não podendo deixar qualquer tipo de dúvida.

A outra parte, ou seja, o contratante, deverá analisar minuciosamente este contrato antes de assiná-lo para dar continuidade a adesão do plano. Lembrando que, por este documento ser um contrato unilateral, não cabe ao contratante negociar as cláusulas, mas sim conferi-las.

O contrato de seguro deve expressar, por escrito, tudo aquilo que já foi negociado através de conversas e trocas de e-mail, por exemplo. E você, na condição de quem contrata o seguro deve esclarecer absolutamente todos os pontos em que tiver dúvida para não contratar “gato por lebre”. Lembre-se: Questionar é um direito seu!

A relação contratado e contratante dá-se da seguinte maneira: Ambas as partes envolvidas possuem obrigações e também direitos.

Enquanto o contratado deve garantir o suprimento de uma necessidade, por exemplo, consertar o seu carro que está devidamente assegurado, você como contratante deve arcar disciplinadamente com o pagamento do prêmio, chamado também de apólice.

Caso qualquer uma das partes falhe em suas obrigações o contrato poderá ser quebrado passível das punições, que já devem estar descritas no mesmo documento.

Cláusulas em que você deve ficar mais atento

Um contrato de seguro, assim como muitos outros, é repleto de cláusulas. Sabe aquelas letras bem juntinhas que honestamente costumamos apenas correr os olhos? É justamente nelas que você deve reparar com atenção antes de assinar a este documento!

Repare bem principalmente nas cláusulas que dizem respeito às obrigações das partes. Ali deve estar destacada a sua obrigação, especialmente sobre o pagamento mensal do prêmio. Também deve constar os deveres da corretora no caso de você precisar usufruir da apólice.

Os valores devem estar especificados por escrito e extenso a fim de que não restem dúvidas sobre o seguro contratado e o valor, tanto a ser pago por você quanto a ser recebido depois.

Verifique ainda se o seguro contratado é um seguro do tipo resgatável. Ou seja, se após determinado período prefixado você poderá reaver o valor já investido e qual a porcentagem que poderá ser resgatada. Saiba ainda quais são as possibilidades para obter esse dinheiro.

Outra cláusula importantíssima de conferir antes de assinar o contrato de seguro é aquela que especifica em detalhes o que lhe dará direito de resgatar a apólice. Repare, no momento da contratação, que nem tudo costuma estar assegurado.

Saber exatamente em que você está investindo aliviará dores de cabeça mais tarde, por isso não assine nada sem dar uma boa conferida. E vale lembrar que a corretora tem certeza, e a segurança em Lei, de que receberá o prêmio mensal pago por você. Todavia, você por sua vez não tem essa certeza já que pode usar ou não a apólice contratada, certo?

Termos comuns usados nesses documentos

Antes de encerrar o assunto vale destacar também neste post alguns termos que são costumeiramente usados nos contratos de seguro. Para entender melhor as cláusulas é indispensável conhecer essas palavras e seus respectivos significados. Confira:

1. Contratante

Você é o contratante em um documento de contrato de seguro. Podendo ser chamado também de segurado, é quem adere a um plano a fim de usufruir de seus benefícios e vantagens caso necessário. Possui direitos e deveres que devem ser observados e também respeitados, certo?

2. Contratado

Chamado no contrato de seguro como contratante, proponente ou seguradora, é o agente responsável pela confecção do documento. É a pessoa na relação jurídica que disponibiliza o serviço especificado no contrato e que têm direitos e deveres garantidos por Lei.

3. Objeto do contrato

Em todos os contratos de seguro você encontrará especificado qual é o objeto deste documento. Ali deverá estar descrito, com riqueza de detalhes, o que está sendo adquirido no plano e quais as possibilidades de utilizá-lo.

4. Apólice

Chamada também de prêmio, a apólice é um título a que o contratante tem direito desde que esteja em dia com seu seguro. É um valor destinado a reparar danos e prejuízos ou ainda prestar auxílio em casos mais graves, como invalidez ou morte.

5. Rescisão

O termo refere-se ao término do contrato que está sendo iniciado. Geralmente traz junto a si possíveis indenizações e penalidades que as partes estarão sujeitas caso o contrato de seguro não seja devidamente cumprido. Também destaca em quais casos o término será aceito sem prejuízos aos envolvidos.

Por fim, leia tudo com muita atenção e sempre que possível peça a orientação de um advogado antes de assinar qualquer tipo de contrato!

Viu como o contrato de seguro ficou mais simples depois desse conteúdo? Agora que você já sabe em que deve ficar mais atento, que tal se inscrever para receber nossa newsletter? Aproveite para se manter atualizado e tire sempre suas dúvidas sobre os tipos de seguros aqui!