Uma receita leve e deliciosa – Super Fácil!

Os tomates recheados com atum são, definitivamente, a melhor maneira de unir dois grupos alimentares opostos: as frutas e as carnes brancas. Você verá que seus sabores podem ser complementares, resultando num prato que agrada a todos.

Por um lado, você tem as propriedades incríveis do tomate, como antioxidante sem igual. Por outro lado, há o atum, fonte de proteína, oligoelementos essenciais e vitaminas. Um ingrediente maravilhoso.

Para uma porção que serve uma única pessoa, a quantidade de calorias pode ficar entre 250 para cada 300 gramas. No entanto, esta quantidade pode variar. Para isso, basta adaptar a receita para a sua necessidade de calorias, ou consumir porções menores. Lembre-se, esta receita não é um prato principal.

Agora, um aspecto que não deve passar despercebido é que esta receita é muito nutritiva. Ou seja, o tomate como ingrediente protagonista é cheio de vitaminas e outros nutrientes saudáveis, enquanto o atum é seu complemento ideal.

Sem dúvida, é um dos melhores peixes e, em consequência, uma das melhores proteínas magras. A carne branca possui vários aspectos nutricionais, sobre os quais falaremos a seguir. Nesta receita você vai achar:

  • Ácidos graxos ômega 3
  • Oligolementos
  • Minerais como o fósforo, magnésio, zinco, potássio e cálcio

Esses nutrientes se encontram em todos os peixes. Claro, pode variar dependendo do tipo que, mas estão presentes no atum. Em consequência, esta receita nos fornece toda energia e nutrição de que precisamos.

Agora, tudo que você tem que fazer para preparar deliciosos tomates recheados com atum é seguir as seguintes indicações daremos a seguir. Não se preocupe, não se trata de uma preparação muito complicada. De acontecimento, é bem fácil.

Como preparar tomates recheados com atum em moradia

Mais informações sobre a receita de tomates recheados com atum

Se você se lembra um pouquinho, verá que o título deste artigo diz (também) que esta receita é leve e deliciosa.

Neste sentido, os dados que estamos prestes a lhe mostrar correspondem a esse enunciado. Esta receita refrescante combina ainda mais com os dias quentes do verão ou da primavera.

Tomates frescos
  • O tomate recheado com o atum possui 233 calorias por porções consumidas por uma única pessoa.
  • Dessas calorias, 46% são gorduras saudáveis para o seu organismo, 45 % são proteínas e apenas 9 % são carboidratos.

Em outras palavras, se você se cuida e procura constantemente manter a saúde de todo o seu organismo, qual a melhor opção para um lanche noturno ou mesmo jantar? Para saciar os desejos que sempre nos atacam à noite, este prato é ideal.

Tomates recheados com atum

Atum

Para prepará-los a partir do zero, você não vai levar mais de 20 minutos. Realmente, uma receita simples, nutritiva e saborosa.

Ingredientes

  • 4 tomates vermelhos grandes
  • 8 azeitonas
  • 2 ovos cozidos
  • 2 latas de atum (sem o óleo) (250 g)
  • 1 colher de sopa de maionese (15 ml)

Preparação

  • Em primeiro lugar, lave muito bem os tomates antes de prosseguir com a receita.
  • Depois de lavados, coloque-os em cima de uma tábua de madeira e, com uma faca afiada, faça um buraco no meio.
  • Retire o recheio do tomate.
  • Dependendo da consistência do tomate, você pode ter maior ou menor dificuldade para cumprir esta etapa.
  • Em seguida, prepare o recheio.
  • Numa pequena tigela, misture o atum sem o óleo, uma pitada de sal, outra de pimenta e um toque de maionese.
  • Você deverá misturar tudo muito bem, até obter um creme homogêneo.
  • Por último, adicione os ovos previamente cozidos com as azeitonas e misture.
  • Recheie cada tomate muito bem, sem abri-lo ou pressioná-lo demais. Para isso, use uma colher.
  • Após rechear os tomates, estão prontos para servir! Mas se quiser mais sabor e melhor conservação, você pode levá-lo ao forno e cozinhar a 180ºC por 15 minutos.

Princípios do seguro e temas polêmicos do STJ foi tema de evento

 

No último dia 15, a Academia Nacional de Seguros e Previdência (ANSP) promoveu um debate sobre “Princípios do seguro e temas polêmicos do STJ”. O intuito foi colocar em discussão o contrato do seguro, o PLC nº29/2017, algumas jurisprudência do STJ, súmulas em desacordo com a boa doutrina securitária e o reajuste dos prêmios e contribuições.

Maurício Gravina, advogado, professor e doutorando em Direito Mercantil pela Universidade de Leon – Espanha, colocou em questão alguns princípios jurídicos do Contrato do Seguro, “para que o seguro seja legítimo é necessário que tenha um risco, que o risco seja preexistente. Existem algumas exceções, por exemplo, no seguro de transporte se contrata uma apólice sem ter ideia do que será transportado durante o mês, mas mesmo dessa forma a companhia sabe do que se trata, sabe que existe o risco. Não existe contrato sem causa”.

O advogado César Peixoto expôs em sua apresentação a problemática acerca do reajuste das contribuições securitárias e previdenciárias em decorrência da mudança de faixa etária. “Quanto maior a idade, maior o risco, portanto maior o valor da contribuição e essa é uma lógica que não tem como fugir. Todavia, esses cálculos e progressões precisam ser revistos de tempo em tempos tomando várias conjecturas, considerando o envelhecimento médio do grupo segurado, mas principalmente pelo grande aumento da expectativa de vida da população”, explica Peixoto.

Representando a Academia, Voltaire Marensi discutiu as recentes súmulas do STJ e o PLC nº 29/2017. Para Voltaire, o direito deve ser justo, mas acima de tudo deve estar em perfeita sintonia com os princípios jurídicos que consagram práticas e regras, e que interage com instituições consolidadas ao longo de muitos anos.

O presidente da ANSP, João Marcelo dos Santos, que mediou do debate, finalizou enfatizando: “Tivemos um evento de muita qualidade e de grandes e precisas exposições. Agradecemos a presença de excelentes palestrantes e de uma audiência muito qualificada”.

A programação foi organizada por Voltaire Giavarina Marensi, Coordenador da Cátedra de Direito do Seguro da ANSP, e Edmur de Almeida, Diretor de Fóruns Acadêmicos da Academia e Coordenador das Comissões de Seguros de Crédito, Garantia e Fiança Locatícia do SINCOR-SP e da FENACOR A abertura do evento ficou a cargo de Rafael Ribeiro do Valle, diretor de Comunicações da Academia.

Fonte: Assessoria

Quais são as profissões mais perigosas no Brasil?

Diversas profissões trazem risco diariamente ao trabalhador devido à periculosidade da ocupação. As profissões listadas a seguir são as que mais apareceram em listas* de profissões mais perigosas no Brasil nos últimos anos.

Mineiro
Exposição a ambientes de alto risco de acidentes e a contaminação por metais pesados.

Agricultor
Exposição ao sol, maquinários, contato direto com produtos químicos perigosos e agrotóxicos.

Profissões da área da saúde (enfermeiros, anestesistas, etc)
Esses profissionais estão expostos a doenças e infecções com alto risco de contaminações.

Agente Penitenciário e Policial
Estão expostos a arma de fogo e riscos diários com exposição à violência.

Eletricista
Alto risco de acidente no trabalho, seja por trabalho em lugares perigosos ou por ter contato com cabeamento de alta tensão.

Pedreiros
Exposição a poeira química, manuseio inadequado de ferramentas de trabalho, desabamento, dentre outros.

Motoristas de caminhão
Risco de assaltos e acidentes no trânsito.

Motoboy
Risco de acidentes no trânsito, quedas, assaltos, dentre outros.

Pintores
Risco de acidentes envolvendo quedas de alturas elevadas e componentes químicos.

Essas são apenas algumas das muitas profissões que constam nas listas.

Fonte: Revista Quero Bolsa

Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência

Cadeira de Rodas

O Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência é uma relevante oportunidade para refletirmos sobre a importância da inclusão social.

No dia 21 de setembro, é comemorado, no Brasil, o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência. Essa data foi oficializada em 2005 pela Lei Nº 11.133, entretanto, já era comemorada desde o ano de 1982. O 21 de setembro foi escolhido porque está próximo do início da primavera, estação conhecida pelo aparecimento das flores. Esse fenômeno representaria o nascimento e renovação da luta das pessoas com deficiência.

Segundo a Lei Nº 13.146/15, a pessoa com deficiência é aquela que tem impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, o qual, em interação com uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas. Assim sendo, o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência surgiu como forma de garantir a integralização dessas pessoas na sociedade de maneira igualitária e sem preconceitos.

A deficiência atinge diferentes níveis e pode ser classificada em quatro tipos: a física, a auditiva, a visual e a mental.

Deficiência Física

O paciente apresenta problemas no seu corpo que comprometem o desenvolvimento de funções físicas. Esse tipo é encontrado, por exemplo, em paraplégicos ou em pessoas com paralisia, membros amputados ou deformidades congênitas.

Deficiência Auditiva

As pessoas com eficiência auditiva, por sua vez, são aquelas que possuem perda bilateral, parcial ou total do sentido da  audição. Essa perda da capacidade de ouvir pode ser causada por problemas diversos, tais como doenças hereditárias, doenças maternas, problemas no parto, infecções virais, lesões, entre outras causas.

Deficiência Visual

As pessoas com deficiência visual são aquelas que apresentam problemas que dificultam a visualização de objetos. É considerado deficiente visual aquele que é cego ou apresenta uma baixa visão. Vale ressaltar que problemas como astigmatismo, miopia e hipermetropia não são considerados deficiências.

Deficiência mental

Na deficiência mental, as pessoas apresentam funcionamento mental abaixo da média. Vale destacar que, para ser considerada uma deficiência, os sintomas devem surgir antes dos 18 anos de idade.

Percebe-se, portanto, que existem diferentes tipos de deficiência e cada uma é responsável por um tipo diferente de limitação. Muitas vezes, essas limitações podem comprometer a qualidade de vida do indivíduo; por isso, faz-se de extrema necessidade o desenvolvimento de medidas de inclusão.

Muitas conquistas já foram obtidas, mas muitas pessoas com deficiências ainda sofrem com a falta de acessibilidade e preconceitos. A falta de acessibilidade é uma grande barreira, uma vez que impede, muitas vezes, a locomoção, a comunicação e até mesmo o direto à informação. Já o preconceito faz com que a deficiência se torne um empecilho para arrumar um emprego ou continuar os estudos, por exemplo.

Assim sendo, a luta deve ser constante, e o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência é uma oportunidade para demonstrar força na busca pelos direitos dessas pessoas.

Curiosidade: A Lei 13.146 de Julho de 2015 representou um grande marco na luta das pessoas com deficiências e instituiu a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). De ajustamento com essa lei, passou a ser crime praticar, induzir ou incitar discriminação de pessoa em razão de sua deficiência, assim como abandonar pessoas com deficiência em hospitais, casas de saúde, entidades de abrigamento ou congêneres, apropriar-se de ou desviar bens, proventos, pensão, benefícios, remuneração ou qualquer outro rendimento de pessoa com deficiência e reter ou utilizar cartão magnético, qualquer meio eletrônico ou documento de pessoa com deficiência destinados ao recebimento de benefícios, proventos, pensões ou remuneração ou à realização de operações financeiras com o fim de obter vantagem indevida para si ou para outrem.

Fonte:  Mundo Educação

Por que devo investir em um seguro de vida?

A vida é cheia de imprevistos, não é mesmo? Exatamente por isso o seguro do automóvel e da residência têm se tornado prioridades para os brasileiros. Afinal, ninguém quer ficar desprotegido quando acontece uma emergência. Proteger nossos bens é insubstituível para garantir a qualidade de vida e a saúde financeira.

Porém, e quando se trata do que há de mais valioso, a vida e a família? Já pensou nisso? Atualmente, a busca pelo seguro de vida tem crescido e essa modalidade de investimento vem ganhando espaço no planejamento de muitas pessoas. Diante de um imprevisto, não há nada melhor do que estar protegido, garantir a estabilidade financeira da família e ter com quem contar nos momentos difíceis.

Ao contrário do que muitos imaginam, o seguro de vida oferece benefícios em vida. Ou seja, ele garante diversas vantagens que vão além das ocasiões em que o segurado falece. Além disso, se trata de um investimento com bom custo-benefício, inclusive, quando comparado a outras modalidades de seguro. Descubra o que é o seguro de vida e confira algumas das vantagens.

O que é o seguro de vida

Um investimento que garante a proteção financeira para você no caso de invalidez permanente, diária de incapacidade temporária, doença grave e assistência funeral, por exemplo. Já os familiares terão direito indenização diante do falecimento do segurado. Trata-se de um contrato realizado entre o interessado e a seguradora cujos benefícios, valores e coberturas serão previstos pela apólice.

Assim como os outros seguros, o valor dependerá de um conjunto de características: idade, estado de saúde e rotina do segurado, entre outras. Dependerá, também, da amplitude das garantias oferecidas pela seguradora. Os benefícios adicionais e o formato da cobertura deverão ser acordados entre as partes para que as expectativas de ambos sejam atendidas.
Agora que você conhece o seguro de vida, já podemos falar sobre as vantagens.

Proteção para a família e patrimônio

Contratar um seguro de vida significa que a família do titular estará protegida nos casos de invalidez ou morte. Nessa situação, a família contará com os recursos necessários e previstos na apólice e com o auxílio da seguradora, que zelará pelo melhor desfecho possível diante do sinistro.

Outra vantagem do seguro diz respeito ao patrimônio. Frente ao inesperado, geralmente é necessário dispensar quantias. Quando há um seguro, não é necessária a venda dos patrimônios para os pagamentos dos custos, pois a indenização servirá justamente para isso. Vender os bens adquiridos pode ser desgastante e demorado, além de comprometer a qualidade de vida da família.

Indenização fora do inventário

Os pagamentos realizados pela seguradora destinam-se diretamente aos beneficiários. Isso quer dizer que eles não ficarão sem recursos após a morte do segurado e poderão, inclusive, utilizar o pagamento para arcar com os custos do inventário. Quando os beneficiários são os herdeiros, o seguro se torna um ótimo instrumento de planejamento sucessório. Vale lembrar também que o titular poderá escolher qualquer pessoa para receber o pagamento.

Indenização isenta do imposto de renda

Ao contrário do que acontece na partilha da herança e na transmissão de doação, o montante pago pela seguradora não sofre com os descontos do Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doações (ITCMD) e com as cobranças do Imposto de Renda. Ou seja, diante uma fragilidade, o beneficiário poderá desfrutar dos valores integrais do seguro.

Outras vantagens

Diversas outras vantagens podem ser oferecidas pelo seguro. Alguns seguros permitem a retirada do capital segurado em vida, oferecem o seguro de vida coletivo, indenização compatível às necessidades e o reembolso de despesas médicas, hospitalares e odontológicas, por exemplo.

Os planos são personalizáveis e você poderá optar pelos benefícios que considerar necessários. Entretanto, para garantir o sucesso do investimento é necessário escolher uma seguradora de qualidade, reconhecida no mercado e que ofereça o maior número de garantias.

Quanto tempo Posso Usar o plano de Saúde Após Demissão?

Nesta matéria você vai saber em até quanto tempo você poderá usar o plano de saúde após demissão. Sabemos que nosso país passa por uma grave crise financeira e isso vem afetando toda a classe trabalhadora.

plano de saúde apos ser demitidoComo efeito dessa crise nos setores trabalhistas, os resultados são as demissões.

Toda empresa fornece aos seus funcionários uma série de benefícios, quando estão trabalhando. Mas e quando são demitidos, como ficam esses benefícios?

Essa é uma dúvida frequente entre ex funcionários. Nós podemos destacar como a maior de todas quando o assunto é Plano de Saúde.

Ex-funcionários se perguntam sobre o Plano de Saúde após Demissão: quanto tempo posso usar?

Vamos falar sobre essa e outras dúvidas sobre essa questão.

De que lado está a Lei

Sei que não é nada fácil ter que passar por uma situação de demissão, e o quanto é difícil conseguir outro emprego ligeiro.

Por isso, é sempre bom saber que a lei esta do lado do trabalhador e que permite a ele, mesmo quando demitido uma série de benefícios.

Entre alguns dos direitos do funcionário que foi demitido está o de permanecer no plano de saúde, mesmo que já tenha saído da empresa.

Esse é um direito previsto pela Lei n° 9.656/1998 do 30º artigo, mais conhecida como a Lei dos Planos de Saúde, regulamentada pela Resolução normativa 279/2011 da ANS.

Mas a regra só serve para os funcionários que foram demitidos sem justa causa e o tempo de permanência dos funcionários demitidos no plano de saúde é por um tempo determinado.

Caso o funcionário tenha pedido demissão ou então foi demitido por justa causa, o direito do plano de saúde passa a não valer mais.

Quanto tempo o funcionário pode permanecer no Plano de Saúde, após a demissão?

O funcionário que deixou a empresa, tem por direito a permanecer no Plano de Saúde. Mas o tempo determinado é correspondente a um terço do tempo que ele trabalhou na empresa.

Só que o tempo mínimo que um funcionário pode ficar no plano é de 6 meses e o tempo máximo é de 2 anos.

Por exemplo:

Mesmo que o funcionário trabalhe apenas durante 1 mês na empresa o direito de permanecer no Plano de Saúde é de 6 meses.

Porém, se um funcionário trabalhou cerca de 20 anos na mesma empresa, o tempo máximo que ele poderá ficar no plano de saúde fornecido pela empresa é de 2 anos.

Os dependentes podem continuar no Plano de Saúde?

Sim, os dependentes têm direito de continuar no Plano de Saúde, pelo mesmo tempo que o funcionário permanecer. E se caso, tiver um filho nesse período, também têm o direito de incluir o recém-nascido no Plano de Saúde.

Condições para que o funcionário demitido continue no plano de saúde após demissão.

Se o funcionário teve alguma contribuição com o Plano de Saúde no tempo em que esteve na empresa, ele tem direito de continuar com o plano.

Plano de saúde após demissãoCaso, a empresa custeava todas as despesas do plano, o funcionário não tem garantias de que poderá continuar usando o plano de saúde.

Para conseguir o direito de seguir usando o plano, o funcionário deve se responsabilizar totalmente aos custos das mensalidades.

Resumindo, se antes a empresa pagava o plano completo, quando demitido o funcionário passará a ter que pagar o plano para continuar usufruindo dos benefícios, caso não queira pagar, o plano é cancelado.

É um direito que vale apenas pelo tempo que o demitido estiver sem emprego. Assim que ele ingressar em uma nova empresa deve ingressar no plano de saúde do novo serviço. Com isso os antigos benefícios serão cancelados.

Vale a Pena permanecer no Plano da Empresa?

Sim, o ex funcionário tem grande vantagem em continuar com o plano de saúde, já que as mensalidades vão ser mais baratas do que assinar um plano individual, e os benefícios oferecidos pelo plano, vão ser os mesmos.

Aproveite para cuidar da sua saúde e da sua família. Fale com sua operadora e opte por continuar com o plano de saúde, os benefícios são os mesmos e as parcela com valores menores. Aproveite.

Caso queira, poderá fazer uma cotação online de planos de saúde.

Se o funcionário não pagava parcela, mas pagava coparticipação nas consultas e exames. Vale para continuar com o Plano de Saúde?

De ajustamento com a ANS, o pagamento de coparticipação nas consultas, procedimentos médicos e exames não são consideradas como contribuição no pagamento dos planos da empresa.

Ou seja, os funcionários que pagavam somente a coparticipação não tem direito de continuar com os benefícios do Plano de Saúde após ser demitido.

Só que o poder Judiciário, tem como costume aceitar como contribuição o pagamento da coparticipação no Plano de Saúde.

Então, o funcionário que foi demitido  do sem justa causa, tem todo direito de continuar com os benefícios do plano. Se assumir as mensalidades. Porém, para conseguir isso é preciso ingressar com uma ação na justiça.

Buscando seus direitos.

plano de saúde após demissãoCaso você opte por permanecer no Plano de Saúde da empresa e achar algum problema, quanto a isso.

A ANS recomenda tentar resolver direto com o departamento de Recursos Humanos da empresa.

Se não for possível resolver o problema com a empresa, o indicado é ingressar em contato com a ANS, por telefone ou pela internet.

Em último caso, se nenhuma das opções acima resolver seu problema. Você tem o direito de ingressar com uma ação na justiça. Se suas reclamações forem a seu patrocínio e você tiver razão na questão é certo que ganhará o processo.

Se o valor for pequeno é possível ingressar com uma ação diretamente no Juizado Especial Cível, que atende pequenas causas.

Se for pequenas causas, o custo será zero. Apenas fique atento ao valor total da causa, pois dependendo do valor será preciso a presença de um advogado nas audiências e com isso será preciso pagar os honorários do advogado.

Agora que você aprendeu um pouco sobre os direitos que tem sobre os Planos de Saúde. Procure aproveitar seus benefícios antes de se preocupar com o acontecimento de ter sido demitido.

Sabemos que isso é um problema, mas dê atenção a sua saúde, aproveite que esse direito proporciona um valor mais barato que os planos individuais, e faça exames e consultas, que o seu plano cobre.

Se você quer fazer um comparativo de quanto você pagará no seu plano empresarial com a um plano de saúde com tabela atual, faça uma cotação preenchendo formulário abaixo.

 

28 de Julho – Dia Mundial do Combate às Hepatites Virais

 

Doenças do aparelho digestivoA Organização Mundial de Saúde (OMS) instituiu 28 de julho como Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, a partir de iniciativa e propostas brasileiras, em maio de 2012. Desde então, o Ministério da Saúde do Brasil cumpre uma séries de metas e ações de prevenção e controle para o combate à doença através de seu Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais da Secretaria de Vigilância em Saúde.

A celebração da data tem como objetivo atrair atenção para o tema e incentivar o conversação, principalmente no campo da saúde pública. A criação de novas políticas públicas e a eficiência das que já existem garante acesso universal ao tratamento e prevenção dessas doenças.

A doença
Existem sete tipos de Hepatite: A, B, C, D, E, F (ainda não diagnosticada em humanos) e G. A doença pode causar a infecção crônica do fígado e possivelmente se tornar câncer na idade adulta. A inflamação pode ser causa pelo vírus da doença, uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, além de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas.
Entre os sintomas da hepatite estão mal estar, dor abdominal, febre baixa, dor de cabeça. cansaço, vômitos e pele amarelada.
A do tipo A é popular em crianças e ocorre de forma branda e sem sintomas. Entretanto, ela é mais séria em adultos e os sintomas tendem a ser mais graves. A transmissão deste tipo se dá por meio de água e alimento contaminados.

Prevenção
consideração-se no Brasil que 2,3 milhões de pessoas tenham algum tipo de hepatite e cerca de 1,5 milhão são portadores do tipo C, o mais grave. Ainda não se tem uma vacina para este tipo de hepatite.
A vacina contra o tipo B está disponível na rede pública e sua imunização ocorre em três doses. A segunda dose deve ser tomada um mês após a primeira dose e a última, seis meses depois da primeira. A faixa de imunização atinge homens e mulheres até 49 anos. Na rede privada, pode-se tomar a vacina combinada contra as hepatites A e B.

Pessoas que compõem o chamado grupo de risco são profissionais do sexo, trabalhadores da área de saúde, coletores de lixo, usuários de drogas injetáveis, índios, vítimas de abuso sexual, doadores de sangue, pessoas reclusas, dentre outras. Elas podem e devem procurar as unidades de saúde para se vacinarem. Para estes, a vacinação é realizada independentemente da faixa etária e não é necessário revelar o motivo pelo qual se está buscando a vacina. É preciso apenas estar com o cartão de vacina.
Para evitar a doença utilize sempre material esterilizado ou descartável em manicures, estúdios de tatuagem, acupuntura, serviços de saúde e procedimentos médicos e odontológicos. Não compartilhe escovas de dente, alicates de cutícula e lâminas de barbear ou depilar. Evite o contato com águas contaminadas, lave bem as mãos e cozinhe bem os alimentos. Utilize preservativo em todas as relações sexuais.

Metas
O Brasil tem como prioridade a realização de campanhas nacionais que estimulem os seus cidadãos a se vacinarem gratuitamente contra a hepatite B e buscarem o diagnóstico precoce. O objetivo é atingir cobertura vacinal superior a 90% e identificar os milhões de brasileiros que o Ministério da Saúde consideração que estejam infectados pelos os vírus B e C.

Fonte: Osvaldo Cruz

Dia Internacional da Luta contra a AIDS

 

Web

A data tem o objetivo de conscientizar a população sobre uma das doenças que mais mata no mundo: a AIDS. Não apenas informar as pessoas sobre os sintomas, perigos e formas de se prevenir da doença, 1º de Dezembro, o Dia Mundial de Luta contra a AIDS também tem a função de auxiliar no combate contra o preconceito que os portadores de HIV – vírus humano de imunodeficiência – sofrem, ressaltando a identificação e a solidariedade.

AIDS

A sigla AIDS vem do inglês Acquired immunodefiecience syndrome, que em português significa “Síndrome da Imunodeficiência Adquirida”.

O vírus da AIDS (HIV) destrói as células brancas do organismo, responsáveis em proteger e combater doenças no corpo humano.

Com a destruição das defesas do organismo, o corpo fica bastante fragilizado e propício a ser atacado por inúmeras doenças, como pneumonias, infecções, herpes e até mesmo alguns tipos de câncer. Assim sendo, não se morre de Aids, morre-se das complicações geradas pelas doenças.

TRANSMISSÃO

A AIDS pode ser transmitida através do contato de fluídos corporais do infectado com o sangue de uma pessoa saudável, por meio de relações sexuais sem preservativo (camisinha), transfusões de sangue ou compartilhamento de seringas e agulhas.

Atenção: beijos de língua, abraços ou contatos com a pele da pessoa portadora de HIV não transmite a doença.

BRASIL

Aumentou o número absoluto de novos casos de aids no Brasil, em uma tendência contrária ao que se registra na média mundial. Dados divulgados em julho deste ano pela UNAids, órgão da ONU para lidar com a epidemia, apontam que o número de novas infecções a cada ano no Brasil aumentou em 3% entre 2010 e 2016. No mundo, essa taxa sofreu uma contração de 11%.

A elevação é considerada pequena, passando de 47 mil novos casos em 2010 para 48 mil em 2016. Mas mesmo considerando a aba de erro e o aumento da população, a realidade é que a estimativa não aponta para uma queda no número absoluto, como o que tem sido registrado em diversas outras partes do mundo e mesmo na região.

O número de mortes por aids no país tampouco conseguiu ser reduzido e ficou estável em 14 mil vítimas por ano, entre 2010 e 2016. Hoje, são 830 mil os brasileiros que vivem com o vírus.

Pessoas com idade entre 25 e 39 anos, de ambos os sexos, são as mais atingidas pelo vírus HIV. Até junho de 2016, foram registrados no Brasil 548.850 casos de AIDS em homens (65,1%) e 293.685 em mulheres (34,9%).

A doença vem crescendo entre o sexo masculino no País. Em 2015, foram 21 casos em homens para cada 10 casos em mulheres.

PREVENÇÃO

Para que o número caia, é relevante se prevenir. Confira abaixo algumas dicas para não correr riscos:

Assim pega

– Sexo vaginal sem camisinha;

– Sexo anal sem camisinha;

– Sexo oral sem camisinha;

– Uso de seringa por mais de uma pessoa;

– Transfusão de sangue contaminado;

– Da mãe infectada para o filho durante a gravidez, no parto e na amamentação;

– Instrumentos que furam ou cortam não esterilizados;

Assim não pega

– Sexo com o uso correto da camisinha;

– Masturbação a dois;

– Beijo no rosto ou na boca;

– Suor e lágrima;

– Picada de inseto;

– Aperto de mão ou abraço;

– Uso compartilhado de sabonete, toalha ou lençóis;

– Uso compartilhado de talheres e copos;

– Assento de ônibus;

– Piscina;

– Banheiro;

– Doação de sangue;

– Pelo ar;

DIAGNÓSTICO

A única maneira de saber se uma pessoa está infectada pelo HIV é através da testagem. Não é possível determinar se uma pessoa está ou não infectada pelo HIV a partir dos sintomas apresentados. Muitas pessoas que estão infectadas pelo HIV não apresentam sintomas durante 10 anos ou mais.

TRATAMENTO

O tratamento da AIDS é feito com medicamentos antirretrovirais que combatem o vírus e fortalecem o sistema imune, mas não curam a doença porque a cura da AIDS ainda não foi descoberta.

Apesar disso, é relevante seguir o tratamento da AIDS para diminuir a carga viral, aumentando o tempo de vida, e também para diminuir o risco de desenvolver as doenças relacionadas a AIDS como a tuberculose e a pneumonia, por exemplo.

INFECTOLOGISTA

O Infectologista é o médico especialista no diagnóstico, tratamento e acompanhamento dos pacientes acometidos por doenças infecciosas, como a AIDS. Se a pessoa tem ou teve comportamentos de risco (situações que possam ter levado à exposição ao vírus), o primeiro passo é procurar um médico, pois quanto antes o diagnóstico for feito, maiores são as chances de sucesso no tratamento.

Fonte: Os dados são da Secretária de Estado da Saúde, do Ministério da Saúde e do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS).

 

CEO fala sobre o papel do Corretor dentro de companhia

 

_mg_8501

O papel do Corretor dentro da Zurich foi um dos assuntos abordados por Edson Franco, CEO da Zurich no Brasil, na parte 1 do programa Bate Bola, da TV CQCS, dessa semana. A seguradora, através de seu modelo multilinha e multiproduto, procura oferecer ao seu cliente o melhor produto, como explica o CEO: “Quando nós temos uma operação em que a gente vende, desde seguro de grandes riscos, passando pelo seguro de automóvel, pelo  residencial, e indo até o seguro de proteção para celular, nós queremos ser a seguradora de escolha do cliente”.

A seguradora também possui a sinal de ser multicanal de distribuição. Por isso, o Corretor de Seguros tem um papel fundamental dentro da estratégia da Zurich, afinal, de convênio com Franco, acredita-se no valor da intermediação. “O Corretor agrega aos clientes na hora de fazer a gestão de riscos”. Por outro lado, Edson também destacou que o profissional do Seguro precisará agregar produtos à sua carteira, a fim de fazer uma boa gestão de risco da vida do cliente.

Confira o vídeo na íntegra:

 

MAPFRE Consórcios registra forte crescimento no setor de automóveis

 

o-carro-na-estrada-longaNo primeiro semestre de 2018, a MAPFRE Consórcios, empresa associada à BR Consórcios, mais que dobrou a venda para o segmento de automóveis. Na comparação com o mesmo período no ano passado, os negócios da companhia apresentaram crescimento de 163%.

De ajustamento com Renato Fernandes, diretor da empresa, o desempenho positivo está associado à ampliação da base de corretores atuantes em 115%. “Nossa estratégia está pautada no aumento do portfólio de produtos nesta categoria, que inclui maior faixa de créditos e diversificação de prazos disponíveis. Esses aspectos somados à força comercial permitiram atrair novos corretores e novos negócios”, diz.

Em julho, a MAPFRE Consórcios e a BR Consórcios celebram um ano de parceria bem-sucedida, que permitiu também a inclusão de novos produtos no portfólio, como consórcios de motos e serviços.

“Destaco, neste primeiro ano, a grande afinidade e alinhamento entre as empresas que garantiu expressivos resultados desde o início das operações. O segundo ano inicia com a ponto de vista de grande ampliação da sinergia entre os canais de distribuição da MAPFRE Consórcios e os planos que administramos”, afirma Rodolfo Montosa, diretor-geral da BR Consórcios.