Doenças mais comuns no carnaval

O carnaval ainda não começou, mas os bloquinhos e esquentas estão acontecendo por todo Brasil.

As altas temperaturas em muitas cidades do país, atividades sexuais, excesso de bebida alcoólica, bebidas energéticas e grandes aglomerações, criam um ambiente perfeito para que as doenças se multipliquem.

Para pode aproveitar toda folia e ter um pós carnaval tranquilo separamos algumas dicas médicas para ficar tranquilo.

As doenças mais comuns que podem afetar o folião são:

Conjuntivite

Ela tem como característica uma inflamação da conjuntiva, que é uma membrana que reveste os olhos e a pálbebras.

Seus sintomas são vermelhidão intensa nos olhos e secreção.

Nas conjuntivites virais ou bacterianas a transmissão de dá pelo contato com objetos contaminados ou pelo contato direto nas secreções.

Lave sempre as mãos com sabão e água ou álcool em gel. E evite ao máximo levar as mãos aos olhos.

Gripes e Viroses

Transmitidas através do ar, as doenças respiratórias como as gripes, resfriados e viroses são as mais comuns nessa época.

Para evita-las, mantenha-se bem hidratado e alimentado durante os dias de folia.

O uso abusivo durante esses dias pode comprometer o sistema imunológico.

Gastroenterite (infecção intestinal)

Cuidado com a procedência dos alimentos consumidos durante esses dias. Se mal cozidos ou sem a higienização necessária esses alimentos podem conter vírus, parasitas e bactérias que podem causar infecções intestinais.

Os sintomas são náuseas, diarreia, vômito, perca de apetite, dores no corpo, febre e em alguns casos sangue nas fezes.

Evite lavando sempre as mãos e procure se alimentar em ambiente mais seguros.

 

Herpes e mononucleose

A famosa doença do beijo é causada pelo vírus Epstein-Barr, da família da herpes. Também pode ser contraída através da tosse, espirro e objetos contaminados levados a boca, como talheres e copos.

O quadro inicial pode se manifestar dor de garganta, mal estar, cansaço, náuseas, dores musculares, nas articulações, cefaleia, falta de apetite, febre e calafrios.

Esses sintomas podem durar em média 3 semanas, mas a caos que duram semanas e até meses.

Doenças sexualmente transmissíveis (DSTs)

Transmitidas pela falta de proteção na hora da relação sexual, o método mais eficaz para se proteger ainda é o uso de camisinha na relação sexual.

Os sintomas são feridas, corrimentos, verrugas ou bolhas. Lembrando que essa doença ainda não tem cura, apenas tratamentos paliativos.

Hepatites A

Transmitida via sexual e por contato em fases agudas da doença, ela é transmitida através de vírus.

Outras formas possíveis de contágio são a água e alimentos contaminados por pessoas que estão infectadas pela doença.

Alimentos que são cultivados com a água contaminada pelo vírus também podem transmitir a doença.

Os sintomas surgem brutamente e incluem febre, anorexia, mal estar, desconforto abdominal, náusea e icterícia.

A boa notícia é que existe vacina para hepatite A, então se você ainda não se vacinou, procure uma unidade de saúde mais próxima de você.

Hepatite B

Esse tipo de hepatite ataca as células do fígado e é causa por vírus, sua transmissão é feita através de sangue contaminado, sêmen e fluidos vaginas e corporais infectados.

A vacina disponível protege cerca de 95% das pessoas, desde que tenha tomado as 3 doses de maneira correta.

Mas para evitar qualquer tipo de surpresa desagradável evite compartilhar objetos pessoais como escova de dentes, aparelhos de barbear, alicate de unhas entre outros.

Para evitar esses problemas e pular seu carnaval de maneira segura vamos pontuar algumas dicas!

Beba muita água

Ela ajuda a filtrar o organismo, faz uma limpeza geral nas impurezas, te mantém hidratado, evita o ressecamento, a desidratação, queimaduras de pele, insolação, mal-estar, tonturas e até a ressaca.

Cuidados com comprimidos e bebidas energéticas

Alguns sintomas como palpitações, arritmias, queimação no estômago e gastrite. Podem ser causados pela ingestão ou a mistura de comprimidos e bebidas que contenham cafeínas com bebidas alcóolicas.

Alimente-se bem

Mantenha sua energia para o carnaval se alimentando de três em três horas. Dê preferência frutas, alimentos frescos, vitaminas, sanduíches naturais, alimentos leves para repor as vitaminas e minerais do organismo.

Bom essas são as nossas dicas espero que possam te ajudar a ter um bom carnaval!

Para você que está em São Paulo e deseja conhecer a cidade com outro olhar, que tal conferir nosso post!

Quer entrar em contato? Acesse aqui!

Se deseja realizar uma cotação de seguro é só clicar aqui!

 

Aumenta 149% os casos de dengue no Brasil

Já nos primeiros meses houve um aumento de 149% nos casos de dengue no Brasil

E as cidades Brasileiras que registraram o maior aumento nos casos de dengue foram São Paulo e Tocantins com um aumento superior a 1.000%!

Seguidos pelo estado do Paraná com um crescimento de 648,6% de 214 casos em 2018, para 1.602 casos em 2019. Santa Catarina passando de 18 casos prováveis em 2018, para 134 casos em 2019 um aumento de 644%.

 

Regiões Brasileiras mais afetadas

A região Sudeste teve o maior número de casos registrado no Brasil em 2019 foram registrados 60% do total, cerca de 32.821 de casos.

A região Centro-Oeste ocupa a segunda posição com 10.827 casos de dengue registrados em 2018.

Na região Norte foram registrados 5.224 casos, seguida pela região Nordeste com 4.105 casos de dengue.

A região Brasileira com menos casos de dengue registrado em 2018 foi a região Sul com 1.800 casos.

Se levarmos em consideração a proporção dos casos em relação ao número de habitantes, o Centro-Oeste e o Sudeste tiverem os maiores casos. No Centro-Oeste foram registrados 67,3 casos para cada 100 mil habitantes. Já o Sudeste foram 37,4 casos para cada 100 mil habitantes.

Quando comparamos os dados gerais registrados no ano de 2018, em 2019 a maior parte dos estados Brasileiros registraram um aumento nos casos de dengue:

 

Sul

 Apresentou o maior índice de aumento 597,7%, em 2018 foram registrados 258 casos, em 2019 1.800 casos prováveis.

Sudeste

Em 2018 foram registrados 5.732 casos, já em 2019 houve um registro de 32.821 casos prováveis, um aumento de 472,6%.

Norte

Em relação a 2018 o aumento foi de 233% nos casos, saindo de 1.569 para 5.224 casos em 2019.

Nordeste

Uma das regiões que registrou o menor aumento de casos em relação a 2018. Com um aumento de 37,6% nos casos, saindo de 2.983 para 4.105 casos em 2019.

Centro-Oeste

É a única região do país que os números são positivos, que houve uma queda e não um aumento em 2019 em relação a 2018.

Em 2018 foram registrados 11.450 casos prováveis de dengue para 10.827 casos em 2019, uma queda de 5,4%.

 

Dados do Ministério da Saúde

Segundo o Ministério da Saúde os números de prováveis casos de dengue registrados no Brasil em janeiro deste ano, mais que dobrou se comparar com o mesmo período de 2018.

Em dados registrados até o dia 2 de fevereiro. Houve um aumento de 149%, passando de 21.992 casos registrados para 54.777 prováveis! Isso é uma média de 26,3 casos para cada 100 mil habitantes.

No ano de 2018 foram registradas 23 mortes por dengue no Brasil. Esse ano já forma registrada 5 mortes causadas pela doença. Uma em São Paulo, um em Tocantins, uma no Distrito Federal e duas em Goiás.

Com esses dados sobre a epidemia, houve a necessidade de uma maior intensificação nas ações realizadas para a eliminação dos focos o Aedes Aegypti em todas as regiões do país.

 

Outras doenças relacionadas ao mosquito da dengue

 

Zika

Em todo país até o dia 2 de fevereiro, foram registrados 630 casos de infecção pelo vírus da Zica.

Em relação a 2018 houve uma queda de 18% nos casos, quando havia 776 casos confirmados.

A média de casos de infecção pelo vírus da Zica no Brasil é de 0,3 casos para cada 100 mil habitantes.

A região Norte teve o maior número de casos 410 notificados, seguido pela região Sudeste com 119 registros, Nordeste com 49 casos, Centro-Oeste com 43 casos e a região Sul com 9 casos.

 

Chikungunya

Em relação a 2018 até o momento os casos de Chikungunya apresentação uma redução de 51%. 

Em 2018 até 2 de fevereiro foram registrados 8.508, já em 2019 no mesmo período foram registrados 4.149 casos prováveis da infecção.

Mas seja com a dengue, chikungunya ou a zica a melhor solução ainda é prevenir, por isso é muito importante manter os ambientes limpos. Sem nenhum acumulo de água.

Logo o outono se aproxima e as doenças dessa época começam a surgir entre elas a gripe, que tal conferir nosso post?

Quer entrar em contato? Acesse aqui!

Se deseja realizar uma cotação de seguro é só clicar aqui!

 

Cientistas descobrem a chave do envelhecimento!

Os telômeros são a “parte final” dos cromossomos e sua função é de proteger o DNA que estão nas células.

 O telômero tem origem grega, eles são as extremidades dos cromossomos, com as partes plásticas que temos nos cadarços.

A principal  função dessa parte é proteger o material genético que é transportado pelo cromossomo, essa parte do DNA são bem repetitivas e não-codificadas.

Cada vez que nossas células se dividem e se multiplicam, para regenerar nossos tecidos ou órgãos. O “tamanho” dos telômeros tende a se reduzir e por isso com o tempo ele vão ficando menores.

E o com o passar do tempo eles ficam tão curtos que já não conseguem mais proteger nosso DNA.  As células acabam parando de se reproduzir e atingem um estado de “Velhice”.

Assim a longitude (tamanho) dos telômeros são considerados como um biomarcador chave do envelhecimento, apesar de não ser o único.

Em quanto tempo eles podem se deteriorar e qual seria seu tamanho?

A longitude ou tamanho dos telômeros depende muito entre as espécies.

No caso de nós seres humanos o tamanho se deteriora de 11 quilobases quando nascemos para 4 quilobases na velhice.

Esse tamanho é medido por pares de base, que são os pares de nucleotídeos compostos na cadeia de DNA.

É possível modificar os telômeros?

Em 2009 três americanos pesquisadores receberam o prêmio Nobel de medicina pela pesquisa sobre o envelhecimento dos telômeros e sua relação com o câncer.

Eles descobriram que a enzima telômerase pode proteger nossos cromossomos do envelhecimento.

Assim eles poderiam regenerar os telômeros e proteger a vida deles, durante a divisão celular.

Com essa enzima as nossas células poderiam se manter mais jovens biologicamente.

Mas boa parte das pesquisas realizadas sobre os telômeros não ter a ver com a formula da juventude e sim com o grande potencial de curar muitas doenças.

Por exemplo há pesquisas em que um nova técnica que está sendo desenvolvida em que se consegue bloquear a capacidade do glioblastoma de se regenerar ou reproduzir.

Esse é um dos cânceres cerebrais mais agressivos, essa técnica ataca precisamente os telômeros das células cancerígenas.

Uma das intenções dos pesquisadores é ativar a telômerase de uma forma que consigam curar pessoas que estejam morrendo por doenças causadas por mutações genéticas raras que são associadas a telômeros muitos curtos.

Formula da Juventude?

Manter essas células jovens não tem uma ligação direta o efeito anti-idade em todo o corpo.

O tamanho de um telômero de uma pessoa tem mais ligação com a força biológica da pessoa. Que seu corpo tem mecanismos de defesas melhores.

Ainda estão desenvolvendo estudos para se determinar um padrão e universal para se medir os telômeros.

Ainda há vários fatores que estão sendo observados. Por exemplo uma mulher que já foi mãe tem os telômeros encurtados, mas do que uma mulher que fuma ou é obesa.

Mas em estudos mais complexos, a conclusão é totalmente contrária! A maternidade faz com as mulheres se tornem biologicamente mais jovens.

Como cada pesquisa usa um método diferentes para se determinar o tamanho desses telômeros, os resultados acabam sendo interpretados de forma diferentes.

Quer saber mais novidades sobre o envelhecimento? Acesse nosso post!

Quer entrar em contato? Acesse aqui!

Se deseja realizar uma cotação de seguro é só clicar aqui!

O aumento da expectativa de vida no Brasil

O aumento da expectativa de vida no Brasil

Cada dia mais no Brasil e no mundo a chamada de esperança de vida ao nascer ou mais conhecida com expectativa de vida vem aumentando no mundo.

E isso é muito importante para o nosso país, visto que esse critério é utilizado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento para que se possa calcular o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de uma determinada região ou país.

 

Comparação de dados

Outro fator que influencia muito para o aumento da expectativa de vida é a queda da mortalidade infantil. Desde de 1940 esse índice vem caindo, naquela época o risco era de quase 31% de uma criança não passar dos 4 anos de idade.

Em dados obtidos em 1950, se comparados com os dados de 2010, pode-se claramente perceber um aumento de vida de mais de 20 anos na população mundial.

Mas nota uma grande curva nesses dados de forma desigual em países desenvolvidos, em desenvolvimento e em nações subdesenvolvidas.

 

Países desenvolvidos e países em desenvolvimento

Vamos comparar algumas expectativas de vida em países desenvolvidos e subdesenvolvidos.

 

Países com maior desenvolvimento:

Japão: 86,3 anos.

Mônaco: 85 anos.

França: 84,5 anos.

Espanha: 84,3 anos.

Suíça: 84,2 anos.

Países com menores desenvolvimentos:

Suazilândia: 42,4 anos.

Lesoto: 43,9 anos.

Zimbábue: 44,2 anos.

Afeganistão: 44,2 anos.

Zâmbia: 44,7 anos.

 

A diferença entre os sexos

Há outro dado relevante em relação a expectativa de vida, entre os sexos as mulheres vivem mais que os homens.

Alguns dados que podem explicar esse fenômeno são:

– Entre os bebês homens há um índice maior de mortalidade infantil;

– As mulheres se cuidam mais em relação a sua saúde;

– Os trabalhos com um nível maior de periculosidade são exercidos por homens.

 No Brasil atualmente a expectativa de vida é de 72,5 anos em uma média geral. As mulheres têm uma média maior de 79 anos e os homens 72 anos.

Por isso é muito importantes fatores como a reforma da previdência, as implantações de programas de saúde para a 3º idade, encontros e eventos exclusivos para essa população.

Para que além de viver mais essas pessoas tenham cada dia mais uma maior qualidade de vida.

 

Uma das maneiras de se viver mais é se alimentar melhor acesse aqui e confira nosso post!

Quer entrar em contato? Acesse aqui!

Se deseja realizar uma cotação de seguro é só clicar aqui!

Nova regras para o reajuste dos planos de saúde.

A ANS traz novas regras para o reajuste de planos de saúde em 2019!

Estudos e propostas com a sociedade 

A discussão da nova metodologia foi fruto de muitos estudos internos e grande discussão com responsáveis pelo setor de órgãos de defesa do consumidor, entidades reguladoras e a sociedade de maneira geral.

Os estudos sobre o tema, que integrou a Agenda Regulatória da ANS, foi realizado no período de 2012 e 2013, foi objeto de uma Câmara Técnica e um Grupo de Trabalho.

Durante esse período foi realizado com a sociedade duas audiências públicas, em que foram aceitas contribuições presenciais e pelos formulários online.

A ANS realizou vária reuniões com o setor de regulamentação, órgãos de defesa do consumidor, agentes governamentais e do congresso para apresentara nova metodologia de cálculo para o reajuste.

Um dos objetivos foi detalhar ao máximo e esclarecer todos os aspectos técnicos e sanar o máximo de dúvidas relacionadas ao tema.

Como funciona o novo cálculo

Essa nova metodologia de cálculo combina índice de valor de despesas assistenciais (IVDA) reflete a variação das despesas de atendimento aos beneficiários, índice de preços ao consumidor amplo (IPCA), índice sobre custos sobre outras despesas.

Na formula de cálculo o IVDA terá peso de 80% e o IPCA de 20% para base de cálculo.

 

Nova regras para o reajuste dos planos de saúde em 2019.

ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), atualizou o método de cálculo para definir novos índices de reajustes para os planos de saúde individuais e familiares em 2019.

Aprovada em dezembro de 2018 pela Diretoria Colegiada da reguladora, para ser aplicado agora em 2019.

Esse reajuste anual definido e calculado pela ANS para planos individuais e familiares, só pode ser aplicado pelas operadoras a partir da data de aniversário de cada contrato.

O IRPI ou Índice de Reajuste dos Planos Individuais, tem como base a variação das despesas médicas das operadoras e na inflação da economia.

Esse índice traz outros benefícios como redução de tempo entre o tempo de cálculo e o período em que o reajuste é aplicado, a transferência da eficiência média de cada operadora para seus beneficiários, que acaba resultando na redução do índice de reajuste.

Essa metodologia foi desenvolvida através de estudos realizados pelo corpo técnico da Agência, durante 8 anos e foi amplamente discutido com o setor e a sociedade.

As colaborações foram efetuadas através de audiências públicas, reuniões, sugestões realizadas através do envio de formulário eletrônico que foi disponibilizado pela agência.

Todos os dados utilizados para esse fim foram todos auditados e são públicos, conferindo assim mais transparência e previsibilidade ao índice.

Esse modelo é um grande avanço para a ANS e para os beneficiários de planos de saúde e para o setor. É a melhor forma e a mais transparente de calcular e vai refletir com maior eficiência nos custos de saúde.

O maior benefício tende a refletir no valor pago pelo beneficiário, vale lembrar que os

Índice de preço, ou seja, o custo do plano de saúde é impactado pelo aumento de frequência do uso do plano e da inclusão de novas tecnologias, que são índices que não tem como ser medidos com antecedência.

Esse índice de reajuste foi autorizado para planos de saúde contratados a partir de

 1º de janeiro de 1999 ou que foi adaptado á Lei nº 9.656/98. Atualmente existem 8 milhões de beneficiários que atendem a essas condições, algo em torno de 17% de todos os clientes de planos médicos no Brasil.

Se ficou com alguma dúvida entre em contato!

Quer contratar um seguro faça uma simulação!

Quer saber mais sobre seguro acesse nosso post!

Porto Seguro ou Ituran? Qual seguro contratar?

Conheça os produtos da Porto Seguro ou Ituran e escolha o melhor seguro para seu automóvel.

Quem busca uma proteção para o automóvel vai achar várias opções no mercado, entre elas a Porto Seguro ou Ituran. Mas, o que cada uma tem a oferecer?

Antes de tudo, é preciso entender que se tratam de empresas diferentes e que cada uma oferece produtos para um público específico. Por isso, veja um pouco mais sobre elas e escolha o seu.

Qual escolher: Porto Seguro ou Ituran?

Para te ajudar nesse processo, fizemos uma pesquisa com os produtos ofertados por cada uma delas e também verificamos a opinião dos consumidores.

Porto Seguro

A Porto Seguro está no mercado há anos, mais especificamente desde 1945, oferecendo seguros para diferentes segmentos, entre eles, o automotivo.

Os seguros de auto que ela comercializa são segmentados de acordo com o seu público, sendo possível achar: seguro auto, seguro auto premium, seguro auto mulher, seguro auto jovem, seguro auto sênior e outros.

No geral, todos eles possuem uma cobertura básica que inclui proteção contra roubo, furto, incêndio e colisão e permitem que sejam contratadas coberturas adicionais.

Além disso, conta com serviços de assistência 24 horas, como guincho e socorro mecânico.

Ela vende seguro automotivo. Isso significa que você escolhe as coberturas disponíveis em cada seguro e contrata com um valor fixo por um determinado período. Esse valor pode ser parcelado ou pago à vista.

O que os clientes dizem sobre a Porto Seguro

Para saber a opinião dos clientes e ter uma visão mais ampla da empresa, fizemos uma pesquisa no site Reclame Aqui para saber o que os clientes acham.

A pesquisa foi realizada em janeiro de 2018 e pudemos constatar que nos últimos 12 meses ele obteve uma nota média de avaliação de 5,82 e a classificação “bom”.

Havia 7223 reclamações registradas e 99,5% delas haviam sido atendidas, em um tempo médio de 7 dias e 12 horas.

O índice de solução era de 77,1% e o percentual de clientes que fizeram um registram e voltariam a fazer negócio com a empresa era de 62,9%.

Ituran

A Ituran foi fundada em 1995 e no Brasil é uma das líderes no seu segmento, o monitoramento de veículos.

O seu principal foco é a comercialização e monitoramento dos veículos com a utilização de rastreadores.

Para que o serviço seja prestado é preciso instalar no veículo um equipamento de rastreamento, sendo que esse é cobrado. Além disso, é cobrado um valor mensal para a utilização do rastreador.

Após feita a instalação, o veículo começa a ser monitorado e conta com um central de atendimento para suporte.

Há também a opção de contratar o rastreador com seguro, porém, as coberturas oferecidas são mais restritas. Ele conta com proteção contra roubo e furto.

Há a possibilidade de contratar coberturas adicionais, sendo elas a cobertura para terceiros e a cobertura de perda total por colisão.

Diferentemente do que ocorre com a Porto Seguro, a Ituran não faz análise de perfil e, por isso, os seus produtos são mais generalistas.

O que os clientes dizem sobre a Ituran

Também pesquisamos a avaliação da Ituran no Reclame Aqui na mesma data e constatamos que ela possui uma nota 4,38. Isso lhe rendeu a classificação “regular”.

São 2336 ocorrências, sendo que 100% delas foram solucionadas em um tempo médio de 1 dia.

O índice de solução foi de 60,5% e o percentual de clientes que voltariam a fazer negócio com a empresa é de 44,5%.

Mas então contrato Porto Seguro ou Ituran?

Como dito acima, as empresas vendem produtos diferentes, o que significa que essa decisão deve ser tomada com base no tipo de seguro que deseja contratar. Sendo assim, ao optar pela Porto Seguro ou Ituran, você deve avaliar os serviços de cada uma e ver quais estão mais próximos de suas necessidades.

*Este texto é de conteúdo editorial e não garante a comercialização deste produto nesse site.

Seguro cobre sinistro com CNH cassada?

 

Saiba se o seguro de automóvel cobre sinistros quando motorista está com CNH cassada!

Quando ocorre um sinistro de colisão envolvendo motorista com CNH cassada é comum não saber se há ou não garantia de cobertura por parte da seguradora. Em razão disso preparamos este post explicando a regra mais comum nessas situações.

Aproveite e faça sua cotação de seguro auto conosco! clique aqui

 

O que diz o Código de Trânsito sobre CNH cassada?

O Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/1997) é claro quanto à quando ocorre cassação da habilitação. Atendidos os pré-requisitos listados no art. 263 abaixo, o motorista fica impedido de dirigir.

“Art. 263. A cassação do documento de habilitação dar-se-á:
  I – quando, suspenso o direito de dirigir, o infrator conduzir qualquer veículo;
  II – no caso de reincidência, no prazo de doze meses, das infrações previstas no inciso III do art. 162 e nos arts. 163, 164, 165, 173, 174 e 175;
  III – quando condenado judicialmente por delito de trânsito, observado o disposto no art. 160.
  § 1º Constatada, em processo administrativo, a irregularidade na expedição do documento de habilitação, a autoridade expedidora promoverá o seu cancelamento.
  § 2º Decorridos dois anos da cassação da Carteira Nacional de Habilitação, o infrator poderá requerer sua reabilitação, submetendo-se a todos os exames necessários à habilitação, na forma estabelecida pelo CONTRAN.”

Tendo ocorrido a cassação da habilitação, o motorista não pode dirigir, estando sujeito detenção ou multa conforme art. 309 abaixo.

“Art. 309. Dirigir veículo automotor, em via pública, sem a devida Permissão para Dirigir ou Habilitação ou, ainda, se cassado o direito de dirigir, gerando perigo de dano:
Penas – detenção, de seis meses a um ano, ou multa”

É relevante ter em mente ainda que não apenas o motorista com CNH está sujeito à penalidade se dirigir, como também quem emprestar o automóvel ou deixá-lo dirigir, conforme atr. 310 abaixo.

“Art. 310. Permitir, confiar ou dar a direção de veículo automotor a pessoa não habilitada, com habilitação cassada ou com o direito de dirigir suspenso, ou, ainda, a quem, por seu estado de saúde, física ou mental, ou por embriaguez, não esteja em condições de conduzi-lo com segurança:
Penas – detenção, de seis meses a um ano, ou multa.”

O que dizem os contratos das seguradoras cobre CNH cassada?

Os contratos de seguro de automóvel estarão necessariamente alinhados às normas de trânsito. Isso não é diferente no caso de CNH cassada: as seguradoras excluem cobertura quando o segurado, motorista ou beneficiário dirigem com CNH cassada.

Elas também não cobrem sinistro se o veículo tiver sido emprestado para motorista com CNH cassada, ainda que o proprietário não tivesse conhecimento disso. Por isso tome cuidado antes de emprestar seu automóvel ou moto para amigos, familiares ou desconhecidos!

Abaixo separei exemplo de cláusula de uma seguradora real para você ver como isso pode aparecer nos contratos.

Exemplo 1: Condições Gerais Seguro Automóvel Porto Seguro – versão jan/2018